sábado, 15 junho 2024

Liberdade, Zanaga e Cidade Jardim têm maior número de mulheres violentadas, aponta estudo

Sábado e domingo são os dias em que há mais agressões contra mulheres em Americana 

Polícia civil, GAMA e Prefeitura fizeram coletiva de imprensa hoje (Foto: Leonardo Matos)

Os casos de violência contra mulher registrados em Americana ocorrem com maior frequência nos bairros Parque da Liberdade, Antonio Zanaga e Cidade Jardim, aponta levantamento da Idsma (Inspetoria de Defesa da Mulher e Ações Sociais) da Gama (Guarda Municipal de Americana). Os dados foram compilados de janeiro a agosto.

No Parque da Liberdade, foram registradas 29 ocorrências. O bairro Antonio Zanaga teve 28 casos de violência doméstica e foram atendidas 22 mulheres no bairro Cidade Jardim. Jardim dos Lírios, Balneário Riviera e Morada do Sol também integram o ranking dos locais com maior índice de violência, com 20 ocorrências nos dois primeiros e 18 no último.

Os dias da semana em que ocorrem mais violência, seja física ou psicológica, são aos finais de semana: domingo com 22% (111 casos) e sábado com 21% (102 casos). Em 35% das ocorrências, ou seja, em 217 atendimentos, os agressores estavam sob efeito de drogas ou álcool.

A maioria das vítimas (75%) possui entre 21 e 50 anos. Esse levantamento faz parte de uma ação integrada entre a Polícia Civil, Secretaria de Assistência Social e Direitos Humanos de Americana e Gama.

“Essas ocorrências são de pessoas que se encorajaram e denunciaram. Nós precisamos mostrar que elas estão certas porque têm muitas que não procuram o Poder Público. Precisamos fortalecer essa decisão delas e também, no segundo plano, trabalhar em cima dos agressores. A secretária entra com força e sabendo onde vai direcionar as ações. Com base nessas informações entra todo o programa ‘Americana Por Elas’ que já é estruturado e agora vai traçar os trabalhos pontuais”, disse o delegado José Donizete de Mello, responsável pela DDM (Delegacia de Defesa da Mulher).

A secretária de Assistência Social Juliani Hellen Munhoz Fernandes explicou que com os dados em mãos a secretaria municipal vai alinhar as ações em prol da defesa das mulheres.

“O delegado Dr. Donizete nos ajuda bastante no trabalho em defesa da mulher. Tivemos várias reuniões e vamos dar sequência ao trabalho através do programa ‘Americana Por Elas’, auxiliando no combate à violência contra a mulher. Com esse estudo dos bairros, locais, dias da semana, vamos conseguir impactar ações dentro do programa e trazer ações específicas. Com esse diagnóstico em mãos, vamos chegar até essas mulheres que sofrem violência doméstica. Os traumas são gigantes e fazemos o acolhimento dos casos mais graves”, disse.

“Nós diagnosticamos o perfil da violência contra a mulher em 2022. Foram nove meses para ter o perfil dos agressores das vítimas. Os dias que mais ocorrem e as motivações. O envolvimento de drogas. O quanto esses casos são reincidentes. Os bairros com maiores reincidências. “, explicou o delegado.

A Gama explicou que a equipe do Idmas realiza visitas semanalmente às vítimas de violência e faz o acompanhamento para saber se os agressores estão cumprindo as medidas protetivas. “Toda vítima de violência pode ligar para a Gama através do número 153, onde todos os guardas estão preparados para esse atendimento”, disse o inspetor Wendeo. 

Receba as notícias do Todo Dia no seu e-mail
Captcha obrigatório

Veja Também

Veja Também