terça-feira, 23 abril 2024

Manifestantes deixam o Tiro de Guerra de Americana

 Eles desocuparam a área ocupada em frente a área militar após os atos violentos em Brasília, que ocorreram neste domingo (8), e determinação de desocupação por Alexandre de Moraes, na madrugada desta segunda-feira (9)

Foto:Divulgação

Após o ministro do Supremo Tribunal Federal (STF) Alexandre de Moraes determinar a desocupação dos acampamentos em frente às áreas militares, em até 24 horas, na madrugada desta segunda-feira (9), os manifestantes desocuparam a área em frente ao Tiro de Guerra de Americana, na Rua Florindo Cibin, em Americana.

Na decisão, Moraes cita que dentro desse prazo ocorra a “desocupação e dissolução total” e determina a prisão em flagrante por diversos crimes de quem participar das manifestações antidemocráticas.
Ainda de acordo Alexandre de Moraes, os manifestantes devem ser presos por atos terroristas, inclusive preparatórios, associação criminosa, abolição violenta do Estado Democrático de Direito, golpe de Estado, ameaça, perseguição e incitação ao crime.
A garçonete Juciara Ribeiro Quaresma, mora próximo onde estavam montados os acampamentos e diz que eles “se achavam os donos do local”. “O mais chato é quando eu vinha de carro e eles fecharam as duas passagens e para ir até a minha casa tinha de dar uma volta. 

Uma vez meu namorado quase discutiu com um cara. Os bolsonarista queriam mandar nesse bairro do Tiro de Guerra literalmente. Então, ficaram numa fase que eles mandavam mesmo aqui”, disse.
Foto: Divulgação

Receba as notícias do Todo Dia no seu e-mail
Captcha obrigatório

Veja Também

Veja Também