quinta-feira, 23 maio 2024

Câmara de Americana desiste de votar já novos subsídios da próxima legislatura

Os vereadores de Americana fizeram um acordo e desistiram de votar ontem o projeto de lei que reajustará em 10% os subsídios do próximo prefeito e vice, e em 7,4% os salários dos secretários municipais, e também o projeto de resolução que aumentará os vencimentos dos vereadores em 12%. 

Os reajustes seriam válidos a partir de 1º de janeiro de 2021, primeiro ano da próxima legislatura. 

Os dois projetos seriam incluídos na pauta da sessão em regime de urgência especial, para serem votados, em primeira discussão, ainda ontem, mas um parecer jurídico atestou que as duas propostas de aumentos podem ser votadas até março do ano que vem, seis meses antes das eleições municipais de outubro, para terem validade. 

O projeto de lei estipula que os vencimentos mensais do próximo prefeito passarão de R$ 23.874,56 para R$ 26.250, e dos secretários, de R$ 14.390,79 para R$ 15.450. O próximo vice-prefeito teria subsídio de R$ 13.750. 

No caso dos vereadores, os subsídios passariam de R$ 10.305,64 para R$ 11.563,50 mensais. O presidente da Câmara teria o vencimento aumentado de R$ 11.283,75 para R$ 12.661. 

SEM PRESSA 

O líder do governo na Câmara, Pedro Peol (PV), disse que os projetos não foram incluídos na pauta da sessão de ontem em comum acordo entre os vereadores. 

Havia dúvida sobre o prazo de votação para entrada em vigor, mas ela foi sanada com o parecer que ratificou a possibilidade de as propostas serem aprovadas até seis meses antes das eleições. 

O presidente da Câmara, Luiz da Rodaben (PP), adotou discurso semelhante. Disse que os projetos serão apreciados ano que vem.

Receba as notícias do Todo Dia no seu e-mail
Captcha obrigatório

Veja Também

Veja Também