domingo, 19 maio 2024
NOVOS ÓBITOS

Campinas confirma mais três mortes por dengue e total chega a 11 em 2024

Entre as vítimas, uma criança de 10 anos foi morta pela doença
Por
Isabela Braz

A Secretaria de Saúde de Campinas confirmou na tarde desta quinta-feira (18), mais três mortes por dengue na cidade este ano. Com isso, o total chega a 11 em 2024.

Entre as vítimas, a secretaria confirmou a primeira morte de uma criança pela doença, sendo uma menina de 10 anos, falecida no dia 5 de abril, após apresentar sintomas no primeiro dia do mês.

Entre as outras vítimas, um homem de 43 anos, atendido na rede pública e morador da área de abrangência do CS Pedro Aquino. Ele não tinha comorbidade, apresentou sintomas em 13 de março e o óbito ocorreu em 17 de março.

A terceira vítima confirmada é uma mulher de 84 anos, atendida na rede privada de saúde e moradora da área de abrangência do CS Santos Dumont. Ela tinha comorbidades, apresentou sintomas em 7 de março e o óbito ocorreu em 12 de março.

Todas as vítimas foram infectadas pelo sorotipo 2.

“A Pasta lamenta as mortes e se solidariza com as famílias. Além disso, reforça o alerta para que a população mantenha cuidados para prevenir e eliminar criadouros do mosquito Aedes aegypti, vetor da doença, e colabore com ações da Prefeitura contra a doença”, disse a secretaria em nota.

Até quarta-feira (17), Campinas teve registrado neste ano 55.176 casos confirmados e 11 mortes. A cidade está em epidemia, declarou situação de emergência em 7 de março, e a Saúde já divulgou um alerta sobre a transmissão da doença em todas as regiões da cidade.

Orientações sobre assistência e alerta para idosos

A pessoa que tiver febre deve procurar um centro de saúde imediatamente para diagnóstico clínico. Portanto, a Saúde faz um apelo para que a população não banalize os sintomas e também não realize automedicação, o que pode comprometer a avaliação médica, tratamento e recuperação.

Já quem estiver com suspeita de dengue ou doença confirmada e apresentar sinais de tontura, dor abdominal muito forte, vômitos repetidos, suor frio ou sangramentos deve buscar o quanto antes por auxílio em pronto-socorro ou em UPA.

A médica Elda Motta reforçou a importância da hidratação e da avaliação médica, principalmente para idosos, gestantes, crianças e pessoas que tenham comorbidades. “A dengue é uma doença que faz a pessoa desidratar mesmo quando não tem perdas aparentes, como vômito e diarreia, por isso, a pessoa precisa se hidratar, beber soro de reidratação oral e água para evitar complicações e procurar por atendimento médico para orientações. É importante que o paciente passe por avaliação clínica, tenha a pressão arterial medida e siga as recomendações recebidas. Lembrar que o volume de líquido que deve beber é grande, por volta de 60 ml por quilo de peso, e que alguns sinais de desidratação não são valorizados como apatia, irritabilidade, perda de apetite e perda de vontade de ingerir líquidos”, explicou.

Receba as notícias do Todo Dia no seu e-mail
Captcha obrigatório

Veja Também

Veja Também