sexta-feira, 19 julho 2024

Sistema Cantareira atinge seu menor nível desde 2016

Índice dos reservatórios de água baixa para 27,3%, o pior em cinco anos 

Secando | Sistema Cantareira está com nível de 27% / Bruno Santos/ Folhapress

 Conjunto de reservatórios que abastece a Grande São Paulo e boa parte das cidades da região de Campinas, o Sistema Cantareira chegou nesta sexta-feira (12) ao seu pior índice desde março de 2016, ao registrar nível de 27,3%, segundo a Sabesp (Companhia de Saneamento Básico do Estado de São Paulo). Há quase seis anos, o manancial marcava 26,7%, no dia 4 de março.

O reservatório sofreu uma nova queda nesta última semana, de 1,1 ponto percentual. No dia 5, marcava 28,4%.
Segundo Pedro Luiz Côrtes, professor do Programa de Pós-Graduação em Ciência Ambiental, do Instituto de Energia e Ambiente, da USP (Universidade de São Paulo), a situação atual é preocupante.
“Mas está de acordo com as previsões climáticas, com o retorno das chuvas no início da primavera. Só que essas chuvas vão diminuindo com a proximidade do verão. Como já temos novamente o La Niña atuando, o total de chuvas no período primavera verão será com um volume abaixo da média climática”, explica.

Segundo ele, a situação de estiagem se manterá até a metade do ano. Depois, haverá certa recuperação, mas ainda demandará atenção.
Os dados apontam que as chuvas ainda não atingiram nem um quarto do esperado para o mês, apesar de estar quase na metade de novembro.
A média histórica para o mês é de 149 mm, mas até agora só foram registrados 28,6 mm.
O pior momento da crise hídrica foi no dia 2 de fevereiro de 2015, quando a Sabesp registrou nível em -24,98% no Cantareira. “Na prática, quase 25% abaixo do zero (que é o nível mínimo para captação de água em uma situação normal). Se fosse temperatura, estaríamos nesse dia com 25 abaixo de zero”, diz.
Receba as notícias do Todo Dia no seu e-mail
Captcha obrigatório

Veja Também

Veja Também