segunda-feira, 27 maio 2024

Com ferimentos graves, professora precisa de cadeira de rodas

Um familiar da professora de karatê gravemente ferida no acidente no Jardim Molon, em Santa Bárbara, está pedindo ajuda para a cessão de uma cadeira de rodas. Ela ficou com ferimentos graves nos membros inferiores e precisará se locomover com cadeira de rodas por alguns meses.

O apelo foi feito pela sobrinha da vítima, a estudante de Direito Giovanna, 19, que se identificou apenas pelo primeiro nome. A sobrinha relatou que a tia, a professora de karatê Júlia Francieli de Oliveira, 39, já teve alta do hospital e terá de usar cadeira de rodas por meses.

Ela relatou que a tia teve ferimentos do quadril até os pés. A vítima quebrou o pé e a perna, e teve ferimentos na região traseira da coxa. Teve que enfaixar a perna. “Ela vai ficar sem andar por um tempo”, relatou a sobrinha. A estudante contou que sua tia dirigia uma moto, estava na mão dela e subia a rua até o Tenda Atacado para comprar tomates para fazer lanches, um serviço que passou a executar por causa da suspensão das aulas durante a pandemia do novo coronavírus. Ela passou a fazer lanches para ter uma renda extra durante a pandemia, contou a sobrinha.

Segundo a estudante, a caminhonete bateu primeiro no Clio e depois atingiu a moto. A colisão com o carro amorteceu o impacto com a moto, dirigida pela professora. Se fosse o contrário, disse, sua tia não teria resistido.

A professora mora com outras duas sobrinhas na Vila Oliveira, em Santa Bárbara. A família entrou em desespero ao ficar sabendo do acidente. “No momento que ligaram avisando, minha pressão subiu e entrei em estado de choque. A gente pensou no pior. A gente passou muito mal”, relatou a estudante de Direito.

A sensação foi de agonia, mencionou Giovanna. A família só conseguiu dormir, já de madrugada, depois do relatório médico que a vítima havia sobrevivido ao grave acidente. A professora tinha alta prevista para hoje e iria descansar, sem condições de conceder entrevista à reportagem.

Além da motociclista, ficaram feridos no acidente três mulheres: Roberta Aparecida de Brito (que estava no Clio), 37, Camila Garrigó Rossi, 31, e Ana Teixeira Garrigo, 74; além deles, a mãe de Camila, Rosiclei Garrió, 51, e o filho dela, uma criança de 7 anos, e o tecelão João Mendes de Souza, 47.

Populares informaram os guardas civis municipais que o condutor do veículo trafegava em alta velocidade quando bateu em outro carro, invadiu a pista contrária, colidiu com uma motocicleta e, por último, atingiu a barraca de pastel.

O caso foi registrado como lesão corporal e homicídio culposo na direção de veículo automotor no plantão policial da cidade.

Receba as notícias do Todo Dia no seu e-mail
Captcha obrigatório

Veja Também

Veja Também