segunda-feira, 22 julho 2024

Comercialização de imóveis tem queda

Compra de casas e apartamentos diminuiu 11,2% na região de Campinas  

As vendas de casas e apartamentos caíram 11,24% entre junho e julho de 2022 na região de Campinas, de acordo com pesquisa realizada mensalmente pelo Conselho Regional de Corretores de Imóveis de São Paulo (CreciSP). De acordo com o levantamento, as locações subiram 22,12%.

O conselho realizou a pesquisa com 113 imobiliárias e corretores da região de Campinas, com o objetivo de acompanhar o andamento do mercado. Em julho, o total de imóveis vendidos na região se dividiu entre 65,71% para casa e 34,29% para negociados.

A pesquisa também concluiu que a faixa de preços preferida pelos compradores de casas e apartamentos em julho ficou por imóveis de até R$ 500 mil, com 61,76% do mercado. As casas mais vendidas foram as de até dois e três dormitórios, com duas vagas de garagem, e área útil de até 200 m².

Já os apartamentos mais vendidos foram os de dois dormitórios, com uma vaga de garagem e área útil de, em média, 51 a 100 m². Os apartamentos de dois dormitórios tiveram 66% das vendas e os com apenas uma vaga na garagem foram vendidos para 58% dos compradores. O percentual de vendas de área útil entre 51 e 100 m² foi de 75%. 

Em julho, os inquilinos preferiram a locação de casas, em 73,53% dos casos, ao invés de apartamentos, com 26,47%. A preferência dos moradores ficou por imóveis de aluguel de até R$ 1.750,00, com 52% do mercado. 

No aluguel de casas, os imóveis preferidos pelos inquilinos foram os de três dormitórios, com duas vagas de garagem e área útil de 101 a 200 m². Os apartamentos mais alugados foram os de dois dormitórios, com uma vaga de garagem e área útil com média de 51 a 100 m², segundo a pesquisa. O CreciSP recebeu respostas de profissionais das cidades de Americana, Campinas, Hortolândia, Monte Mor, Paulínia, Santa Bárbara d’Oeste e Sumaré.

Receba as notícias do Todo Dia no seu e-mail
Captcha obrigatório

Veja Também

Veja Também