sábado, 22 junho 2024
MOBILIDADE URBANA

Denis Andia estuda interligar região e Viracopos ao trem intercidades

Segundo o secretário, o trem ganha passageiros e o aeroporto passará a ser uma alternativa mais acessada para quem hoje se utiliza de Guarulhos e até mesmo Congonhas
Por
Redação
Foto: Divulgação

O secretário nacional de mobilidade urbana, Denis Andia, acompanhou o leilão para a concessão do trem que interligará as regiões de Campinas e Jundiaí à cidade de São Paulo, ocorrido na sede da B3 (Bolsa de Valores de São Paulo) e antecipou ao governador do Estado de São Paulo, Tarcísio de Freitas, que já estuda o desenvolvimento da mobilidade na Região Metropolitana de Campinas, assim como a possibilidade de interligar o novo trem ao aeroporto internacional de Viracopos.

“Compartilhei com o governador Tarcísio que iniciamos um amplo estudo nacional que permitirá o planejar o transporte público de alta e média capacidade e nortear estados e municípios para os investimentos das próximas três décadas, nas 21 regiões metropolitanas brasileiras com mais de um milhão de habitantes. A RMC vai precisar desenvolver sua integração ao novo trem e também sua conexão com Viracopos. O momento de pensar e planejar é agora. Vamos dar atenção especial a isso”, ressaltou Denis Andia.

O secretário nacional atenta que, com a implantação do trem, a RMC vai precisar planejar novas iniciativas de transporte público coletivo que levem os cidadãos da região até a cidade de Campinas sem a perda de qualidade da mobilidade nas vias regionais e locais do município campineiro, tornando mais viável a utilização pelas demais cidades do entorno. Outro ponto destacado é a necessidade de se pensar, desde já, na interligação entre a estação final do trem e o aeroporto internacional de Viracopos.

“A integração entre o trem e Viracopos trará benefícios de demanda e funcionalidade tanto para o trem quanto para o aeroporto. O trem ganha passageiros e o aeroporto passará a ser uma alternativa mais acessada para quem hoje se utiliza de Guarulhos e até mesmo Congonhas”, aponta Denis.

O TIC (Trem Intercidades) conta com um investimento de R$ 6,4 bilhões do Governo Federal, através de recursos financiados pelo BNDES, e é a mais importante obra de infraestrutura ferroviária entre cidades estruturada pelo governo estadual paulista, que contará com uma linha expressa ligando a capital à cidade de Campinas e apenas uma parada em Jundiaí.

A concessão prevê ainda, a implantação de uma outra linha, chamada de TIM (Trem Intermetropolitano), que interligará Campinas e Jundiaí – com paradas em Valinhos, Vinhedo e Louveira – e a modernização da Linha 7 (Rubi) que vai de Jundiaí até a Barra Funda, em São Paulo, com mais oito paradas.

“O trem intercidades é um sonho antigo do qual participo já há mais de uma década, quando prefeito de Santa Bárbara d’Oeste e presidente da Região Metropolitana de Campinas. Agora, como secretário nacional de mobilidade urbana do Ministério das Cidades, tenho a satisfação de vê-lo sair do papel para se transformar em realidade para os brasileiros da nossa região”, celebrou Andia.

O certame foi vencido pelo Consórcio C2 (composto pelo Grupo Comporte e a chinesa CRRC), que arrematou o leilão com aporte de cerca de R$ 8 bilhões. O financiamento antecipado do BNDES permitiu a contrapartida de investimentos do Governo de São Paulo, dando garantia e segurança para viabilidade da concessão. A CRRC é uma das gigantes mundiais na produção de trens, metrôs e outros veículos sobre trilhos.

“Em setembro passado, recebi o vice-presidente da CRRC para a América Latina, Sr. Yang Liheng. Conversamos sobre o horizonte de investimentos no transporte sobre trilhos em diversos estados brasileiros. Desejo que oportunidades como essa agora de São Paulo abram caminho para a instalação futura de uma fábrica da empresa no Brasil”, comentou o secretário nacional.

Receba as notícias do Todo Dia no seu e-mail
Captcha obrigatório

Veja Também

Veja Também