quarta-feira, 29 maio 2024

Diocese de Limeira cria ‘Comissão de Denúncias’

Responsável por quase 90 paróquias em 16 cidades da região, entre as quais Americana e Nova Odessa, a Diocese de Limeira instalou uma “Comissão de Denúncias” em sua estrutura interna, destinada a tratar das suspeitas de abusos sexuais cometidos por clérigos e religiosos. 

Em nota à Imprensa, a diocese afirma que a criação da estrutura atende a um decreto papal. “O Papa Francisco decretou que até junho de 2020 todas as dioceses do mundo devem ter um ou mais sistemas estáveis e facilmente acessíveis ao público para apresentar suspeitas ou queixas de abusos sexuais cometidos por clérigos e religiosos, abuso de autoridade, uso de material pornográfico infantil ou encobrimento de abusos”, explica a diocese. “Pretende-se que a estrutura permita que um ‘queixoso ou vítima’ seja bem acolhido, protegido de eventuais represálias, garantindo ao mesmo tempo a máxima seriedade no tratamento das denúncias”, informa o comunicado. 

A criação do serviço acontece alguns meses após um padre – Pedro Leandro Ricardo, reitor afastado da Basílica de Santo Antônio de Pádua, em Americana – ser alvo de denúncias de abuso e assédio sexual contra menores, e um bispo – Dom Vilson Dias de Oliveira, que renunciou em maio ao cargo na Diocese de Limeira – ser acusado de acobertá-lo, além de supostamente desviar recursos da Igreja. Ambos negam qualquer crime. 

Ainda de acordo com a nota emitida pela diocese, a “Comissão de Denúncias” já está em funcionamento desde o primeiro semestre, com a participação de párocos e leigos (fieis). “A comissão já está funcionando, inclusive com casos sendo analisados. Todos os processos correm em sigilo canônico”, diz o texto. 

Para entrar em contato com a comissão é preciso agendar uma audiência pelo telefone (19) 3441-5329, da cúria diocesana. 

CASOS 

A advogada Talitha Camargo da Fonseca, que representa supostas vítimas do padre Pedro Leandro Ricardo, afirma que sete menores com idades entre 11 e 17 anos foram identificados nas cidades de Araras e Americana, entre os anos de 2008 e 2015. 

A defesa do padre nega as acusações e afirma que elas são fruto de perseguição ao religioso. 

A Diocese de Limeira realizou uma investigação interna sobre as denúncias contra o padre. Ela foi concluída em março e remetida ao Vaticano, mas nenhuma informação sobre as conclusões desse processo foi divulgada para a imprensa. 

 
Por Walter Duarte

Receba as notícias do Todo Dia no seu e-mail
Captcha obrigatório

Veja Também

Veja Também