segunda-feira, 27 maio 2024

Fiação solta prejudica comércios

Uma fiação solta há mais de três semanas está prejudicando comércio na Avenida Paulista, no Colina, em Americana. O poste foi trocado pela CPFL Paulista em 25 de novembro, na altura do numeral 191, em frente à Aline Doces. Fios de telefonia da operadora Vivo ficaram pendurados no local. A Vivo disse que iria enviar equipe ao local.

Segundo a proprietária da loja que mais tem sofrido com a situação, Alinne Gonçalves, desde a troca do poste, quando os fios ficaram expostos, ela tem ligado três ou quatro vezes por semana para a Vivo, depois de ser informada pela CPFL que a responsabilidade era da operadora. Porém, as ligações para a Vivo não surtiram efeito.

“A atendente sempre fala que prazo é de 24 horas, a gente aguarda e nada acontece. Foram mais de cinco tentativas. Depois deram prazo de 72 horas, venceu e ninguém veio. Ligamos também para a ouvidoria da Vivo, já tem três dias, falaram que em até dez dias entram em contato para ver o que vai ser feito. Os prazos acabam e ninguém resolve. Está difícil a situação aqui”, conta Aline.

Ela relata prejuízo nestas três semanas com os fios expostos bem em frente ao estabelecimento. “Clientes não estão entrando no estacionamento se já tem outro carro parado na vaga ao lado. Aqui cabem três carros estacionados, agora para só um. Três vagas já são poucas, imagina uma. Principalmente nesta época do ano”.

O representante do comércio da avenida, Mario Augusto Garcia Simões, protocolou pedido de uso da tribuna na Câmara, que foi concedido ontem. “É um problema sério, a CPFL fez troca de postes e hoje quem sobe a Paulista vê em frente a Aline Doces o estado dos fios”.

Mario frisou que a troca de postes da CPFL tem “deixado” fios soltos em toda a cidade e que está troca do dia 25, uma terça-feira, deixou a avenida sem energia das 11h30 às 15h30. “Queria saber se tem como fazer projeto de lei para mudar horário, para que CPFL faça aos sábados à tarde, domingos e feriados, para evitar transtornos ao comércio”.

O representante dos comerciantes da Paulista frisou que o estado dos fios expostos “é muito perigoso” e citou acidente que matou criança em Poços de Caldas, em Minas Gerais, em situação de fios semelhante à da avenida. “É uma necessidade urgente. Já faz três semanas, e a Vivo, responsável pelos fios, disse que só daqui a dez dias”.

Maria Giovana (PDT) frisou que fez projeto de lei no qual responsabiliza a CPFL pelos fios das operadoras, “já que ela aluga os postes”. “Isso tem sido muito eficaz em outras cidades que já aderiram, tanto do ponto visual quanto da segurança. Já tivemos acidentes em relação a isso. A lei foi aprovada pela Casa, tá na mão do Jurídico da prefeitura. Já cobramos que se regulamente a lei e coloque em prática, mas ainda não foi feito”.

O QUE DIZEM?

Em nota, a CPFL disse que os cabos em questão são de empresas de telefonia e que tem notificado “sistematicamente” as empresas de telefonia, Internet ou TV quanto a irregularidades de seus cabos de comunicação.

A empresa destaca que as manutenções e substituições de postes que possuem serviços compartilhados com outras empresas são programadas “e as empresas avisadas com antecedência sobre o trabalho, para que as mesmas possam garantir a integridade das redes e o funcionamento de seus respectivos serviços”.

A distribuidora solicita à população que, sempre que for identificado algum cabo de telecomunicação ou energia elétrica caído no chão, o local seja isolado e seja acionado o serviço emergencial da empresa.

A companhia reforça que “dará as orientações necessárias e continuará notificando as empresas responsáveis para que os trabalhos sejam realizados com urgência e, se necessário, irá retirar os cabos de telefonia dos postes”.

A Vivo informou que enviará equipe técnica ao local para verificar o caso.

 
 

Receba as notícias do Todo Dia no seu e-mail
Captcha obrigatório

Veja Também

Veja Também