domingo, 21 abril 2024

1ª Delegacia de Defesa da Mulher de Hortolândia será inaugurada nesta quinta

Nova estrutura chega em meio a recorde de casos de violência doméstica no município

A Delegacia de Defesa da Mulher era uma reivindicação antiga da população, cuja instalação foi confirmada no último dia 6 de janeiro (Foto: Prefeitura de Hortolândia/ Divulgação)

Hortolândia, em parceria com o Governo do Estado, entrega nesta quinta-feira (26), a partir das 16h30, as instalações da primeira DDM (Delegacia de Defesa da Mulher) da cidade. O espaço passou por reformas e adequações internas que foram solicitadas pelo Estado. A Delegacia está localizada na Rua Benedicta Pires de Assis, 88, bairro Remanso Campineiro.

Apesar de Hortolândia contar com mais de 234 mil habitantes, o município ainda não disponibiliza atendimento diferenciado para mulheres vítimas de violência. As denúncias de estupro, ou violência doméstica, por exemplo, são registradas nos plantões policiais ou distritos policiais da cidade.

A Delegacia de Defesa da Mulher era uma reivindicação antiga da população, cuja instalação foi confirmada no último dia 6 de janeiro. De acordo com o documento, a área de atuação será abrangida pelos limites territoriais da cidade.

Assim como as demais DDMs sediadas em Sumaré, Santa Bárbara d’Oeste e Americana, a delegacia integrará a estrutura da Delegacia Seccional de Americana, vinculada ao Deinter-9 (Departamento de Polícia Judiciária do Interior) de Piracicaba.

Segundo o prefeito José Nazareno Zezé Gomes, a DDM em Hortolândia é uma grande vitória para as mulheres hortolandenses. Ele recordou que em 2016, o então deputado estadual Angelo Perugini havia protocolado junto ao Governo do Estado de São Paulo o pedido de criação da delegacia especializada para as mulheres.

“O meu amigo e saudoso prefeito Perugini, quando ocupou a cadeira de deputado estadual, havia plantado em 2016 uma semente e, face a toda essa luta e trabalho, sem esquecer da fé, alcançamos agora em 2022 esse grande objetivo. A partir do momento que o Governo do Estado lançou o decreto, confirmando a DDM, nós já buscamos um local adequado para a sua implantação. O prédio ficou muito bom e atenderá as necessidades da Polícia Civil”, explicou o prefeito hortolandense.

No último ano, o CRAM (Centro de Referência e Atendimento à Mulher) “Debora Regina Leme dos Santos”, de Hortolândia, registrou o triste recorde de atendimento às mulheres vítimas de violência doméstica. Em 2021 foram registrados 660 atendimentos, um aumento de 50% em relação a 2020, quando foram anotadas 440 denúncias. Deste total, 421 casos terminaram na concessão de medidas protetivas de urgência, ação prevista pela Lei Maria da Penha (n° 11.340, de 7 de agosto e 2006). 

Receba as notícias do Todo Dia no seu e-mail
Captcha obrigatório

Veja Também

Veja Também