terça-feira, 23 abril 2024
EDUCAÇÃO MAIS INCLUSIVA

Hortolândia criará Almanaque de Práticas Pedagógicas para uma Educação Antirracista

Iniciativa da Prefeitura, aberta a todos os profissionais da Secretaria de Educação, Ciência e Tecnologia, busca promover diálogos com estudantes sobre a cultura afro-brasileira
Por
Redação
Foto: Ilustrativa / BlogIPOG

Um projeto em desenvolvimento pela Prefeitura de Hortolândia será lançado em breve, e aberto a participação de todos os 2 mil profissionais da educação municipal, – é o Almanaque de Práticas Pedagógicas para uma Educação Antirracista.

Segundo a Secretaria de Educação, Ciência e Tecnologia, o “Projeto Território de Saberes – Ubuntu (Sou Porque Somos)”, como está sendo chamada a iniciativa, representa um importante passo para uma educação mais inclusiva, na cidade.

A ideia é reconhecer, valorizar e apreciar práticas pedagógicas de significativa relevância social e educacional, desenvolvidas por professores e educadores, estabelecendo diálogos com as crianças e os demais estudantes sobre a cultura afro-brasileira.
Para colaborar com a construção do Almanaque, é preciso se inscrever, por meio deste link:https://docs.google.com/forms/d/e/1FAIpQLSfAkCe7EFvLnWLfF_iRL6x9eyDWrdYTGEXdFk8b0OVljXi95w/viewform.

Podem participar professores(as) e educadores(as) de Educação Infantil, Ensino Fundamental I e II e EJA (Educação de Jovens e Adultos) I e II. O prazo para o envio de práticas pedagógicas encerra-se em dois de agosto. Quem participar do projeto receberá certificados de participação de 30 horas.

A elaboração coletiva e cooperativa do Almanaque atende aos princípios da Lei 10.639/03, que torna obrigatório o ensino de história e cultura africana e afro-brasileira nas escolas. A ação, organizada pela Secretaria Municipal de Educação, Ciência e Tecnologia, parte do pressuposto da importância de promover a igualdade e equidade no ambiente escolar em torno das questões étnico-raciais, por meio do desenvolvimento de práticas educativas e pedagógicas no combate ao racismo.

De acordo com a Secretaria, depois de organizado, o documento será disponibilizado a toda a rede municipal de ensino, contribuindo para a disseminação do conhecimento já disponível, bem como de ações pedagógicas práticas produzidas pelos profissionais.

Deste modo, os ensinamentos reunidos no Almanaque poderão ser aplicados, por meio de atividades práticas, desenvolvidas de acordo com o Currículo Municipal de Educação – Integra Saberes. Assim, busca-se conscientizar e contribuir com a luta antirracista não apenas no ambiente escolar, como também na comunidade e na sociedade em geral.

“As questões raciais ainda são um tema muitas vezes invisibilizado e pouco desenvolvido no ambiente escolar. Deste modo, levando em consideração nosso Currículo Municipal de Educação – Integra Saberes, o desenvolvimento de propostas e vivências pedagógicas junto às crianças, concernentes à lei, é a forma de alterar tal realidade de modo incipiente, mas, com potencial de constante crescimento e ampliação”, ressalta o texto da equipe do CFPE (Centro de Formação dos Profissionais em Educação) “Paulo Freire”, responsável pelo Projeto Ubuntu.

Receba as notícias do Todo Dia no seu e-mail
Captcha obrigatório

Veja Também

Veja Também