domingo, 26 maio 2024

Hospital Municipal prepara novos leitos para Covid

Após a lotação de todos os 18 leitos sem respiradores de coronavírus no HM (Hospital Municipal) de Americana na quinta-feira (10), a prefeitura informou ontem que a Secretaria de Saúde está acompanhando a situação e que o HM deve ampliar os leitos destinados ao coronavírus, com e sem respiradores, “para eventual necessidade”.

Em nota, a Secretaria de Saúde disse que está “acompanhando atentamente a evolução de todos os indicadores epidemiológicos relativos à pandemia”.

Quando houve a ocupação de 100% dos leitos e também antes, na quarta-feira (9), quando apenas dois leitos estavam livres (89%), a prefeitura descartou a ampliação e disse que acompanhava. Desta vez foi diferente.

“No que tange à oferta de leitos, por enquanto, apesar de a demanda estar em curva ascendente, não foi necessária nenhuma medida de grande impacto”, informou ontem a prefeitura, acrescentando que “todavia, o Hospital Municipal vem se mobilizando para a abertura de mais leitos, inclusive com respiradores, para uma eventual necessidade”. A prefeitura não deu mais detalhes sobre o assunto.

A taxa de ocupação de leitos de Covid-19 com respiradores é de 46% em toda Americana, com 26 dos 56 leitos ocupados, somando os das redes privada e pública. A maior taxa de ocupação deste tipo de leito é a do Hospital da Unimed, 71% (dez dos 14 leitos ocupados).

Depois vem o HM, com 47% (oito de 17 leitos ocupados); o Hospital São Lucas, com 40% (quatro de dez leitos ocupados); e o São Francisco, com 27% (quatro de 15 leitos ocupados).

Nos leitos de Covid de enfermaria, sem respiradores, a taxa de ocupação somando todos os hospitais da cidade é de 44% (31 dos 71 leitos ocupados). O HM caiu dos 100% para 72% ontem (13 de 18 ocupados).

Na noite de quinta (10), a prefeitura já havia informado que cinco leitos haviam sido desocupados.

Na Unimed, a taxa é de 56% (dez de 18 ocupados); no São Lucas, de 24% (quatro de 17 ocupados); e no São Francisco, de 22% (quatro de 18 ocupados).

Duas mulheres falecem

A Vigilância Epidemiológica informou ontem mais dois óbitos por Covid-19, ocorridos no Hospital Municipal Dr. Waldemar Tebaldi: uma idosa de 65 anos, do Parque da Liberdade, que tinha doença cardíaca; e Cristina Motta Galvão, 51, funcionária da Justiça Federal de Americana, que não tinha comorbidades.

Cristina deixa duas filhas pequenas. “Minha querida amiga Cristina, ainda estamos sem acreditar! Você sempre foi uma pessoa que irradiava alegria, com seu sorriso. Minha admiração por você é eterna. Perdemos nossa amiga em razão do Covid. Por favor, vamos nos cuidar. A doença evolui muito rápido. Pensem em seus entes e amigos queridos”, postou no Facebook o vereador Welington Rezende (Patriota).

Americana teve ainda 78 novos casos e chega a 7.245 registros positivos, sendo 187 óbitos, 16 internados, 266 em isolamento domiciliar e 6.776 recuperados.

Há ainda 141 casos suspeitos aguardando resultados de exames, sendo 38 internados. Além disso, o município contabiliza agora 11.759 casos descartados após resultado de exame negativo.

Unidade recebe aparelhos de anestesia e berços aquecidos

O Hospital Municipal Dr. Waldemar Tebaldi recebeu investimento de R$ 429 mil em equipamentos, sendo dois aparelhos de anestesia para uso no Centro Cirúrgico, no valor total de R$ 384 mil, e três berços aquecidos para uso no Centro Obstétrico, no valor total de R$ 45 mil.

Os berços chegaram no dia 18 de novembro e já estão sendo utilizados. De acordo com o diretor do HM, José Carlos Marzochi, eles possuem sistema ventilatório controlado para recepção de recém-nascidos, garantindo maior segurança aos procedimentos.

“Esse é um diferencial que os berços que tínhamos antes não possuíam, representando um grande avanço para nossa maternidade e, claro, proporcionando um atendimento ainda melhor à população”, comentou.

Já os dois aparelhos de anestesia chegaram nesta semana e a equipe do Centro Cirúrgico está em treinamento para utilização.

Segundo a diretoria técnica do HM, os equipamentos devem proporcionar diversas melhorias ao atendimento, pois possuem alta capacidade técnica; monitoramento real do gasto/consumo anestésico; precisão em anestesia geral pediátrica; maior precisão da equipe médica e enfermagem pelo conjunto de controles; e monitoramento avançado, incluindo agentes anestésicos.

O Centro Cirúrgico do Hospital Municipal possui quatro salas e tem um aparelho de anestesia em cada uma, além de um na sala de tomografia.

“Esses dois novos aparelhos, além de serem mais modernos e avançados do que os atuais, chegam para reforçar a estrutura existente, possibilitando que dois aparelhos fiquem de reserva. Isso é fundamental em situações adversas, garantindo maior segurança para os profissionais e pacientes atendidos”, ressaltou Marzochi.

O prefeito de Americana, Omar Najar (MDB), destacou a importância de mais essas aquisições para o Hospital Municipal. “Fico muito feliz em estar terminando meu mandato anunciando a chegada de mais equipamentos novos e modernos para o nosso HM. Foram muitos investimentos neste sentido, algo que era extremamente necessário, assim como diversas melhorias na estrutura física deste local tão importante para a população de Americana”, afirmou.

Omar lembrou que deve entregar neste mês a reforma da Ala 2 do hospital. “Já estamos na fase final das obras e pretendemos fazer essa entrega ainda em 2020”, informou.

Os recursos são provenientes do governo federal, por meio do Ministério da Saúde, e fazem parte de um montante de R$ 5 milhões, que já teve grande parte utilizada na aquisição móveis e equipamentos para o HM. | DA REDAÇÃO

Receba as notícias do Todo Dia no seu e-mail
Captcha obrigatório

Veja Também

Veja Também