terça-feira, 27 fevereiro 2024

Mercado de flores mostra otimismo

A venda de flores no feriado de Finados em Americana deve atingir pelo menos 80% do arrecadado em 2019, segundo projeção da Acia (Associação Comercial e Industrial de Americana). Com a pandemia do coronavírus e a quarentena imposta pelo Plano São Paulo do Governo do Estado, o comércio tem passado por desafios, e o setor de floricultura tem no feriado de Finados uma data importante.

“As previsões e expectativas realistas estão na ordem de no mínimo 80 a 90% das vendas do ano passado”, relata Wagner Armbruster, presidente da Acia, sobre a expectativa de vendas para o setor no feriado neste ano atípico de pandemia.

“O detalhe que temos que considerar é que a maioria do público assíduo em frequentar os cemitérios faz parte do grupo de risco e isso gera uma dúvida sobre a efetivação dessas projeções. Mas a Acia e os comerciantes do ramo estão otimistas por também se tratar de um momento afetivo de máxima importância no calendário anual”, destaca Wagner.

A entidade orientou os comerciantes em fazer manutenção dos protocolos de saúde indicado pelas autoridades.

Gabriela Murayama, proprietária da floricultura Marina Flores, localizada no Jardim São Paulo, se disse otimista com as vendas para o feriado e destacou o bom momento do mercado mesmo com a pandemia.

“Esse foi um ano de incertezas e surpresas, os clientes reagiram diferente em cada data comemorativa. Foi um ano bom para o mercado de flores e plantas, apesar da pandemia, e estamos otimistas. O mercado de flores está aquecido”, disse.

Gabriela “acreditamos que isso seja resultado da necessidade de relacionamento humano que temos depois de tudo. Será mais uma data com boas vendas”.

PRODUTORES

A Cooperativa Veiling Holambra, que reúne cerca de 400 produtores de flores, avalia que mesmo diante das dificuldades, a expectativa para Finados é boa na região.

“Com a previsão de quantidades menores, as perspectivas são de que os preços possam ser melhores. Por isso, de modo geral, esperamos crescer neste período ao menos 10% no faturamento de produtos específicos para a data, em relação ao ano anterior, mesmo com uma regressão entre 15% e 20% quanto ao volume”, avalia Jorge Possato Teixeira, CEO da Cooperativa Veiling Holambra.

Receba as notícias do Todo Dia no seu e-mail
Captcha obrigatório

Veja Também

Veja Também