terça-feira, 25 junho 2024
HABITAÇÃO

Obras de casas para idosos do Condomínio Vida Longa continuam avançando

Residências construídas no bairro Jaguari, em Americana, devem ser entregues entre dezembro de 2023 e janeiro de 2024; a Rede TODODIA entrevistou o secretário municipal de Habitação e Desenvolvimento Urbano, Luiz Carlos Cezaretto
Por
Nayara Lourenço
Foto: Wagner Max / Rede TodoDia

As obras de construção das 28 residências destinadas às pessoas idosas, do Condomínio Vida Longa, no bairro Jaguari, em Americana, continuam avançando. As moradias já atingiram 25% de execução e devem ser entregues entre dezembro de 2023 e janeiro de 2024.

Em entrevista à Rede TODODIA, o secretário municipal de Habitação e Desenvolvimento Urbano, Luiz Carlos Cezaretto, falou sobre o programa e os benefícios para os idosos.

“Essa obra vem com 28 casas, de 28 m² cada uma, adaptadas totalmente para idosos em situação de vulnerabilidade, acima de 60 anos, que serão credenciados pelo CRAS do nosso município. Temos a previsão de entregar essa obra até dezembro ou início do ano que vem. As casas vêm com todos os equipamentos, desde geladeira, cama e tudo que os idosos precisam, gratuitamente. Além das residências, terão hortas e equipamentos comunitários para que tenha uma convivência entre eles”, afirmou Cezaretto.

As casas vão contar com cozinha, sala de estar e dormitório conjugados, banheiro e área de serviço, incluindo itens de segurança e acessibilidade, como barras de apoio, pias e louças sanitárias em altura adequada, portas e corredores mais largos, interruptores em quantidade e altura ideais, alarmes de emergência sonoros e luminosos, piso antiderrapante, entre outros. Além disso, o condomínio também terá espaços de lazer, como academia e horta.

O Programa Vida Longa é realizado pela Secretaria de Estado da Habitação, CDHU (Companhia de Desenvolvimento Habitacional e Urbano) e a Secretaria Estadual de Desenvolvimento Social, em parceria com as prefeituras. Em Americana, o município cedeu a área para a construção das 28 moradias e as obras são feitas pelo Estado, com investimento de R$4,5 milhões.

“Nos sentimos realizados, o município não investiu dinheiro nenhum, somente o terreno, e a obra é voltada para as pessoas que mais precisam, quantos idosos estão abandonados pela família e não tem uma estrutura para morar? Não há dinheiro que pague quando você entrega uma moradia para as pessoas que mais precisam […] e tudo vai ser equipado para que eles possam ter uma qualidade de vida digna para um ser humano”, comemorou Cezaretto.

A Secretaria de Assistência Social e Direitos Humanos de Americana vai ser responsável pela manutenção e gestão do Programa, que tem caráter protetivo e está em conformidade com o SUAS (Sistema Único de Assistência Social).

Receba as notícias do Todo Dia no seu e-mail
Captcha obrigatório

Veja Também

Veja Também