PUBLICIDADE

PUBLICIDADE

Operação contra fraude tem ex-vereador preso

Dimas Starnini, de Nova Odessa, é um dos cinco detidos, mas nega crime

O ex-vereador e ex-coordenador de Desenvolvimento Econômico de Nova Odessa, Dimas Starnini, foi preso nesta segunda-feira (7) em uma operação do Gaeco (Grupo de Atuação Especial no Combate ao Crime Organizado) do MP (Ministério Público) que investiga suspeitas de fraudes em licitações e concursos públicos na região. Atualmente, Starnini ocupa o cargo de superintendente do Consab (Consórcio Intermunicipal de Saneamento Ambiental), em Cosmópolis. 

PUBLICIDADE

A casa dele, em Nova Odessa, também foi alvo de um mandado de busca e apreensão. O mandado de prisão expedido contra ele é temporário e tem duração prevista de cinco dias. Ao todo, foram cumpridos na operação cinco mandados de prisão temporária e 13 de busca e apreensão em Campinas, Jaguariúna, Cosmópolis, Santo Antônio de Posse, Cordeirópolis, Nova Odessa, Holambra, Macatuba e Votuporanga. 

Segundo o MP (Ministério Público), as investigações começaram há quatro meses. 

PUBLICIDADE

As fraudes começariam já no processo de contratação das empresas responsáveis pela organização dos concursos, especialmente os de consórcios públicos. 

A vencedora da licitação era definida previamente para garantir a aprovação de pessoas de interesse do grupo investigado. 

PUBLICIDADE

Depois disso, mediante pagamento de propina, haveria intervenção política para que fossem beneficiados com as aprovações candidatos indicados pelos envolvidos no esquema. Por conta desse suposto beneficiamento ilegal, a operação recebeu o nome de “Apaniguados”. 

Pelo menos oito mil pessoas, que prestaram o processo seletivo de um dos consórcios, foram prejudicadas pelo esquema. 

Além de Starnini, foram presos o presidente do Saae (Serviço de Água e Esgoto) e secretário de Serviços Públicos de Cordeirópolis, uma sócia da Orhion Consultoria, empresa que organiza concursos público; um ex-secretário municipal de Obras e Serviços em Jaguariúna; e um diretor da Secretaria de Serviços Públicos de Santo Antônio de Posse. 

Todos os cinco presos foram apresentados na 2ª Delegacia Seccional de Campinas, mas não foram reveladas informações sobre os depoimentos. 

DEFESA NEGA 

O advogado Germano Gomes, responsável pela defesa do ex-vereador de Nova Odessa, Dimas Starnini, disse que ainda não tinha tido acesso à investigação, mas que considera a prisão dele irregular. “O Sr. Dimas encontra-se seguro de que ao final os esclarecimentos serão favoráveis à sua pessoa. Este defensor entende que esta, como diversas medidas que determinam prisão sem antes ouvir os suspeitos, ferem o direito à ampla defesa. Evidente que se fosse intimado para prestar esclarecimentos ao Ministério Público ou ao Juízo o Sr. Dimas o faria, de modo que prisões como esta ofendem a presunção de inocência e geram constrangimento doloroso e desnecessário”, disse.

PUBLICIDADE

Pin It on Pinterest

Share This