Quarta, 10 Agosto 2022

População deve evitar contato com morcegos

População deve evitar contato com morcegos

O Departamento de Vigilância em Saúde da Prefeitura de Monte Mor orienta a população a evitar o contato com morcegos, estejam mortos ou vivos.Desde o
O Departamento de Vigilância em Saúde da Prefeitura de Monte Mor orienta a população a evitar o contato com morcegos, estejam mortos ou vivos.

Desde o início do ano até ontem, a Secretaria de Saúde enviou para testes dois morcegos, recolhidos após denúncias, para saber se podem estar contaminados por raiva.

A Vigilância aguarda a confirmação dos testes para saber se os morcegos eram insetívoros (se alimentam de insetos) ou frugívoros (se alimentam de frutas).

No Brasil não há registros de raiva em humanos desde 2016.

Em Monte mor não há registros em humanos em 50 anos.

No início de 2018 foram registrados um caso de raiva em equino e uma caso em bovino.

Em 2018 a Vigilância enviou para testes 18 morcegos recolhidos pelas equipes de saúde após denúncias.

De acordo com a diretora da Vigilância em Saúde, Elaine Ap. Panzanni Silva, mesmo com a incidência baixa é importante monitorar a circulação do vírus da raiva, para prevenir que cães e gatos sejam contaminados e, consequentemente, para que não haja transmissão para humanos.

ORIENTAÇÃO
Ao encontrar um morcego em situação incomum (caído no chão, dentro de casa, caçado por cão e gato, entre outros), a indicação é isolar o local onde o animal foi encontrado ou prendê-lo com um balde, caso esteja no chão.

Em seguida, recomenda-se registrar a solicitação de remoção pelo telefone 3789-1130 e aguardar o contato de um técnico do Centro de Controle de Zoonoses.

"Indicamos que a pessoa não tente capturar o morcego e de forma alguma toque no animal", orienta Elaine.

A Zoonoses vai até o local, realiza a remoção do morcego, faz a vacinação de cães e gatos que possam ter tido contato e dá orientações. Em seguida, o morcego é encaminhado para exame.

Estas medidas fazem parte do trabalho preventivo de rotina da Vigilância, que se complementa com o monitoramento de cães e gatos suspeitos, cujas notificações são enviadas pelos veterinários.

VACINA
Para os responsáveis por cães e gatos, a orientação da Vigilância, ainda, é mantê-los vacinados contra a raiva.

A vacina deve ser feita anualmente. Cães e gatos têm hábitos de caça e, eventualmente, podem entrar em contato com morcegos contaminados. "É importante a vacinação anual contra raiva de cães e gatos, mesmo para animais idosos e que não tenham acesso às ruas, uma vez que o morcego pode entrar em casas e apartamentos", finaliza a diretora.

 
 

Ao aceitar, você acessará um serviço fornecido por terceiros externos a https://tododia.com.br/