Sábado, 25 Junho 2022

Prefeituras da região ficam alerta para segunda onda de coronavírus

Prefeituras da região ficam alerta para segunda onda de coronavírus

As prefeituras da região mantêm as medidas e monitoram uma possível segunda onda de coronavírus, como tem ocorrido na Europa. Apesar da região ter con

As prefeituras da região mantêm as medidas e monitoram uma possível segunda onda de coronavírus, como tem ocorrido na Europa. Apesar da região ter considerável queda de mortes e casos e completar um mês na Fase Verde do Plano São Paulo do governo do Estado, a quarta fase de flexibilização da quarentena, os Executivos seguem tratando a pandemia da mesma forma que em fases piores. 

A reportagem questionou durante a semana as cinco prefeituras da região se há algum plano para uma possível segunda onda da pandemia e como as administrações se preparam para um pior cenário. 

A Prefeitura de Americana informou, via Secretaria de Saúde, que as medidas de combate e prevenção ao coronavírus continuam em vigor no município. 

"Tais medidas visam evitar a transmissão e garantir a assistência aos pacientes, tanto para os casos graves como os moderados. Qualquer mudança no cenário atual será antes discutida e definida pelo Comitê Municipal de Crise, que nesse momento busca assegurar o cumprimento do que já foi estabelecido por meio de decretos municipais", diz a pasta. 

A secretaria ressaltou ainda que as medidas adotadas no âmbito municipal seguem as mesmas diretrizes estaduais. "Portanto, se houver alguma alteração no Plano São Paulo, devido a uma possível segunda onda, certamente o município irá rever suas estratégias, buscando alinhar essas diretrizes", encerra a nota. 

A Prefeitura de Hortolândia, por meio da Secretaria de Saúde, também informou que continua com o trabalho de monitoramento, acompanhamento e tratamento de casos e pacientes. A administração mantém em funcionamento a Unidade Respiratória, montada anexa à UPA-24h (Unidade de Pronto Atendimento) Nova Hortolândia. 


"Além disso, o município continua firme com ações de combate e prevenção à disseminação do coronavírus, alertando a população sobre a obrigatoriedade do uso da máscara em ambientes externos, e evitar aglomeração por meio do trabalho de fiscalização diária", destacou. 

As prefeituras de Nova Odessa, Santa Bárbara e Sumaré não se pronunciaram. Os três municípios têm seguido as decisões e medidas do Estado e da região desde o início da pandemia. 


CONTINGÊNCIA 

Em Campinas, o prefeito Jonas Donizette (PSB) assinou em 29 de outubro uma portaria que determina a elaboração de um Plano de Contingência para uma possível segunda onda da Covid-19. A assinatura aconteceu durante transmissão ao vivo na Internet. 

A elaboração do plano será feita durante o mês de novembro pelo Comitê Municipal de Enfrentamento da Pandemia de Infecção Humana pelo Novo Coronavírus, que conta com a participação de 15 órgãos e secretarias da prefeitura, incluindo a Secretaria de Saúde e a Rede Mário Gatti de Urgência, Emergência e Hospitalar. 

"Quando a Covid chegou, nós fizemos um plano que deu certo. Ninguém em Campinas ficou sem atendimento, não precisamos enviar nenhum paciente para fora da cidade e recebemos pessoas de outras cidades. Para garantir isso, tomamos diversas providências, como a transformação unidades de saúde em atendimento com leito Covid", disse Jonas. 

O prefeito ressaltou que ainda não há previsão de segunda onda da doença no Brasil, mas tomou a atitude por precaução. Ele reforçou que o plano se refere apenas à assistência das pessoas que ficarem doentes e não a fechamentos. "Em dezembro, vamos entregar esse plano para a população. Eu vou dar publicidade ao documento. Também pretendo entregar para o futuro prefeito. É nossa responsabilidade ter esse cuidado". 

Ao aceitar, você acessará um serviço fornecido por terceiros externos a https://tododia.com.br/