domingo, 21 julho 2024

Demora em Pronto Socorro gera revolta em Santa Bárbara

Longa espera, de até cinco horas, por atendimento pediátrico no Afonso Ramos motiva reclamação de pais 

Afonso Ramos | Atendimento demorado na pediatria gera críticas em S. Bárbara

A demora por atendimento pediátrico no Pronto-Socorro Municipal Dr. Afonso Ramos, em Santa Bárbara d’Oeste, tem sido alvo de reclamações de um grupo de pais que precisaram dos serviços do hospital durante esta semana. No início da tarde desta sexta-feira (12), a espera por consulta com um especialista chegou a ser de até cinco horas.

O vigilante Rogério Correa, morador do Jardim Pérola, afirma ter procurado o hospital às 9h da manhã de ontem em busca de atendimento para a filha Bella, de um ano e sete meses, e só conseguiu passar pelo médico por volta das 14h30.
“Minha filha apresentou tosse e quadro febril durante a madrugada e resolvi procurar o hospital pela manhã. Fui informado que apenas uma médica estava no atendimento e só consegui consulta depois desse tempo”, comenta.
A cooperativista Bruna Ferreira, do Jardim Europa, que também esteve no hospital nesta sexta-feira, diz que na última quarta-feira (10) teve de aguardar quatro horas para que a filha Agatha fosse recebida pela pediatra.
“Hoje fui atendida em duas horas, mas na quarta, cheguei no hospital às 15h e saí daqui às 19h. Algumas mães que esperavam há mais tempo que eu desistiram do atendimento e foram embora”, comenta.
Foi o caso da dona de casa Andrea Marroni, do Bosque das Árvores. Segundo ela, os filhos Nycollas e Heytor, de 4 e 2 anos, começaram a apresentara tosse e estado febril, entre outros sintomas, na quarta-feira.
Ela chegou ao pronto-socorro ao meio dia e até às 16h ainda não tinha sido atendida.
“As crianças começaram a reclamar que estavam com fome e cansadas, acabei abandonando o atendimento. Como os sintomas persistiram, voltei e já espero por mais de uma hora e meia”, disse ela, na ocasião.Maria de Fátima da Silva, do Jardim Nova Conquista, diz que tem passado, ao menos, duas horas na sala de espera do hospital aguardando por consulta para o filho Yago, de dois anos, nos últimos dias.
“Vim na semana passada, fui atendida, mas meu filho não melhorou e tive de voltar”, afirma ela que esperou por mais de três horas até receber atendimento. “Tem, no mínimo dez crianças na frente dele para ser atendido”, reclamou.
CÂMARA
Na terça-feira (9), outro grupo de pais já havia reclamado da demora no atendimento infantil do hospital, quando também apenas um médico estava responsável pelas consultas infantis.
Na ocasião, eles procuraram vereadores da cidade durante a sessão da câmara, relatando o problema, fazendo com que o assunto se tornasse tema de debate entre eles por mais de uma hora.
A vereadora Esther Moraes (PL), presidente da Comissão de Políticas Sociais, da Câmara de Santa Bárbara, diz que acompanha os casos relatados durante a sessão e que os membros da comissão se reuniram ainda esta semana para conversar sobre os episódios.
“Queremos entender o que está acontecendo no hospital, até porque existe um contrato com uma empresa terceirizada que é responsável pelos atendimentos.”, informa.

O vereador Carlos Fontes (PSL), também membro da comissão, afirma que, se necessário, será estudada a melhor maneira de ouvir a OS (Organização Social) que administra o hospital sobre as denúncias. “Não é a primeira vez que os vereadores recebem este tipo de questionamento. Queremos saber o que está acontecendo e como é feita a fiscalização dos atendimentos”, comenta. 

Receba as notícias do Todo Dia no seu e-mail
Captcha obrigatório

Veja Também

Veja Também