Domingo, 24 Outubro 2021

Sem vacina contra raiva, cidades da região cancelam campanhas

Sem vacina contra raiva, cidades da região cancelam campanhas

Por falta de vacinas, as cidades de Americana, Santa Bárbara d'Oeste, Nova Odessa, e Sumaré cancelaram as campanhas públicas de vacinação contra a rai

Por falta de vacinas, as cidades de Americana, Santa Bárbara d'Oeste, Nova Odessa, e Sumaré cancelaram as campanhas públicas de vacinação contra a raiva animal, realizadas geralmente durante o mês de agosto. As doses, que devem ser fornecidas pelo Ministério da Saúde, ainda não chegaram. 

Em 2018, mais de 63,2 mil cães e gatos foram vacinados nas cidades da região, incluindo Hortolândia, a única que está mantendo a campanha para setembro. 

O Governo do Estado, que redistribui as vacinas, solicitou em agosto 1,5 milhão de doses. Mas o pedido ainda não foi atendido pelo Ministério da Saúde. A pasta relata atraso na entrega das vacinas por parte do laboratório fornecedor, que identificou problemas técnicos na linha de produção, mas sem previsão de entrega. 

Fora da rede pública, o preço da dose da antirrábica varia de R$ 60,00 a R$ 80,00 em veterinários e pet shops consultados ontem pelo TODODIA. 

Todos os cães e gatos acima de quatro meses de idade devem ser imunizados anualmente. 


ESTOQUE A ZERO 

Americana e Santa Bárbara d'Oeste já estão sem a vacina para a campanha e aguardam a liberação de um lote para fazer ao menos a imunização de rotina. Em 2018, mais de 11 mil cães e gatos foram vacinados em Americana. Em Santa Bárbara, foram vacinados 8,7 mil animais. 

Tutora de uma cachorra adotada, a estudante universitária Bárbara Gonçales Consolini, 21, lamenta o cancelamento da campanha. "O Estado já comete um descaso absurdo com os animais de rua, abandonados. A vacinação é essencial para a saúde dos bichinhos, que precisam não só de amor e um ambiente familiar, mas também de um cuidado clínico que não sai nada barato. O Estado tem o dever de fornecer esse cuidado", opina. 

Nova Odessa imunizou 8,1 mil pets durante a campanha em 2018 e esperava, este ano, receber entre 8 a 10 mil doses. Sem previsão, a Secretaria de Saúde "suspendeu por tempo indeterminado" o início da campanha. 

"Em 2015, ocorreu problema parecido e o município teve de cancelar a campanha em cima da hora. As doses são muito caras e não temos como custear a imunização sem planejamento e reserva orçamentária", afirmou o secretário de Saúde, Vanderlei Cocato. 

Sumaré tem realizado apenas ações de bloqueio em áreas onde foram registrados casos de raiva animal, utilizando doses remanescentes da vacina de campanhas passadas. Em 2018, o município imunizou 13,8 mil animais. 

 

Comentários:

Nenhum comentário feito ainda. Seja o primeiro a enviar um comentário
Já Registrado? Acesse sua conta
Visitante
Domingo, 24 Outubro 2021

Ao aceitar, você acessará um serviço fornecido por terceiros externos a https://tododia.com.br/