sexta-feira, 24 maio 2024

SOS Animais deve manter castrações

A Spasb (Sociedade Protetora dos Animais de Santa Bárbara d’Oeste) SOS Animais está montando um serviço de banho e tosa para atender os pets abrigados. E também pretende manter o serviço de castração no ano que vem.

As informações são da presidente, Maria Luíza Furlan, atuante na causa animal há 25 anos. Com os recursos obtidos no projeto Marmita Solidária, os defensores estão montando um banho e tosa, a ser empregado na higienização dos 35 cães e 103 gatos abrigados na entidade, que fica na Rua Cabreúva, na Vila Lola.

O serviço será voltado apenas para os abrigados e começará em janeiro. Segundo Maria Luíza, facilitará a vida dos voluntários.

Em 2021, as castrações feitas pelo CCZ (Centro de Controle de Zoonoses) e pela entidade devem continuar, informou Maria Luíza.

A prefeitura faz 52 castrações mensais, através de uma empresa terceirizada, e a entidade, 60, de baixo custo. Ao todo, são castrados 112 animais por mês. Até agora, foram realizadas 624 castrações gratuitas e 700 de baixo custo entre cães e gatos.

Os protetores dos animais tiveram muito trabalho em 2020, independente de pandemia. E continuam com muitos planos para 2021. A expectativa é que a causa animal seja fortalecida ano que vem, com uma vereadora do segmento na Câmara – Kátia Ferrari (PV) e com o início do funcionamento do Centro de Bem Estar Animal da prefeitura.

Atuante há duas décadas e meia na causa, a presidente vê evolução na conscientização sobre a posse responsável e os cuidados com os animais domésticos.

Apesar de este ser um ano desafiador em todos os setores, o atendimento foi normal na entidade, contou. Houve apenas redução do horário. E foram adotados os protocolos para evitar a contaminação por Covid-19, como instalação de pia para lavagem das mãos e disponibilização de álcool em gel, com exigência do uso de máscara.

Para evitar aglomerações, as feiras de adoções foram interrompidas por oito meses. Para contornar os obstáculos, os interessados escolhiam os animais através de fotos, depois o interessado passava por uma entrevista e retirava o animal com hora marcada no sábado.

Recentemente, as feiras de adoções voltaram. Foram retomadas as doações nas feiras às quartas-feiras no Tivoli Shopping e aos sábados, na Praça Coronel Luiz Alves, no Centro, das 10h às 13h.

Atualmente, a entidade conta com 23 voluntários e sempre há interessados em atuar na causa. Os voluntários são recrutados por um departamento e passam por entrevista. Eles passeiam com os cães ou atuam como auxiliar de veterinário. “Nós estamos sempre precisando, gostamos de gente nova”, contou Maria Luíza.

Como atua há 25 anos em prol dos animais, Maria Luíza avalia uma evolução muito grande. Ela disse que avançou muito a conscientização das pessoas sobre a importância da convivência com os animais, em especial através das mídias digitais. As leis mais rígidas também ajudaram a inibir os maus tratos.

A entidade evoluiu de um abrigo de animais para uma clínica autossustentável, que tem atuação independente.

“Para nós é uma evolução muito grande. Tanto que agora eu consigo sustentar os meus animais recolhidos com o trabalho que a gente faz aqui”, diz a ativista.

A maior felicidade de Maria Luíza é receber um animal em más condições gerais e deixá-lo saudável e bem tratado para ser adotado.

“A nossa maior satisfação é a hora que eles são adotados, com certeza”, diz. Mas afinal o que os cuidadores ganham com tanto esforço? “É um amor total. É um amor incondicional. É o que a gente tem deles”, resumiu a protetora dos animais.

Receba as notícias do Todo Dia no seu e-mail
Captcha obrigatório

Veja Também

Veja Também