Sábado, 25 Junho 2022

Sou Americana quer corte de salários para evitar 280 demissões

Sou Americana quer corte de salários para evitar 280 demissões

A redução brusca no movimento de passageiros nas linhas urbanas e metropolitanas - de pelo menos 75%, desde o início da quarentena - fez com que as em

A redução brusca no movimento de passageiros nas linhas urbanas e metropolitanas - de pelo menos 75%, desde o início da quarentena - fez com que as empresas que operam no setor mergulhassem em uma crise financeira sem precedentes. Na tentativa de manter o emprego de seus 280 funcionários, a Sou Americana já negocia corte nos salários. Pelo que apurou a reportagem, a permissionária pretende manter o pagamento de um terço das remunerações. 

O sindicato que representa os trabalhadores não se manifestou sobre um possível acordo. E, pelo histórico das negociações, é bem provável que a proposta da empresa seja rejeitada. Na visão dos dirigentes da Sou Americana, no entanto, só assim serão evitadas  demissões. 

A empresa alega que o número diário de passageiros despencou de 34 mil para 6 mil a cada dia. No começo do mês, a Sou Americana ainda conseguiu autorização da prefeitura para suspender o funcionamento das linhas nos domingos e feriados, mas a solução não bastou. A direção da empresa não esperava que a quarentena se prolongasse por tanto tempo, e já não consegue pensar em nenhuma outra solução que não seja a colaboração dos trabalhadores. 

"Já chegamos no fundo do poço. Reduzimos o número de ônibus em circulação, reduzimos a carga horária de trabalho dos motoristas... Já fizemos de tudo", afirmou um dirigente do Grupo Sancetur à reportagem do TODODIA, pedindo para manter sua identidade em sigilo. 


PORTAS FECHADAS 

O temor dos empreendedores do setor é que, na falta de um acordo, tenham de encerrar as próprias atividades, como já aconteceu neste começo de semana com uma empresa que atuava na região de Sorocaba: a Viação São João. Fundada há 56 anos, a empresa encerrou suas atividades informando, em nota, que não podia mais honrar seus compromissos financeiros, depois que as lideranças sindicais na região rejeitaram negociar o corte dos salários. 

A São João explorava as linhas metropolitanas que ligavam Sorocaba às cidades de Votorantim, Porto Feliz, Boituva, Piedade, São Miguel Arcanjo e Araçoiaba da Serra. Também era responsável pelo transporte urbano em Votorantim, São Miguel Arcanjo e Salto de Pirapora. Nada menos que 970 trabalhadores perderam o emprego. A EMTU deve assumir as linhas (Leia mais na matéria acima). 


"Da mesma forma, todas as empresas que operam no transporte urbano da Região Metropolitana de Campinas estão ameaçadas", afirmou ontem à reportagem Paulo Barddal, diretor de Comunicação do SetCamp, sindicato que representa cinco empresas que atuam no setor. "Há empresas sem dinheiro para pagar o diesel." 

EMTU GARANTE OPERAÇÃO EM SOROCABA 

A direção da EMTU (Empresa Metropolitana de Transportes Urbanos de São Paulo) informou ontem à reportagem do TODODIA que garante aos 18 mil usuários a operação das 23 linhas da Viação São João, na região de Sorocaba. O serviço será assumido por operadoras de outras regiões.  

A EMTU admite que as linhas metropolitanas daquela região tiveram uma redução de 83% no número de passageiros, em virtude da quarentena.  

Mas não existe qualquer programa específico de socorro do governo paulista às empresas. O isolamento social afeta a atividade de qualquer empresa, de qualquer setor, segundo a EMTU, e a solução encontrada no momento foi ajustar a frota à redução da demanda.  

“A Secretaria dos Transportes Metropolitanos reafirma que a utilização do transporte público deve ser feita somente por pessoas que estão em atividades essenciais”, resumiu a nota.  

A situação particular de cada empresa no setor, segundo a diretoria da EMTU, deve ser negociada com o governo. 

Ao aceitar, você acessará um serviço fornecido por terceiros externos a https://tododia.com.br/