sexta-feira, 19 julho 2024

Trânsito mata mais em 2019 na região

O número de mortos em acidentes de trânsito cresceu significativamente nos sete primeiros meses de 2019 nas principais cidades da região em comparação com o mesmo período do ano anterior. A piora no cenário é maior em Santa Bárbara d’Oeste, onde as fatalidades quase triplicaram este ano, com 15 óbitos decorrentes de acidentes de janeiro a julho, contra 4 em 2018 – um aumento de 275%.

Os números são do Infosiga (Sistema de Informações de Acidentes de Trânsito) de São Paulo. Na região, Sumaré e Americana também registraram aumentos expressivos no número de mortes no trânsito.

Com 21 mortes no trânsito entre janeiro e julho deste ano, contra 9 ocorridas no mesmo período do ano passado, Sumaré viu crescer em 133% a letalidade no trânsito, enquanto Americana viu dobrar essa mesma estatística: foram 16 casos este ano, contra 8 em 2018, índice de aumento de 100%.

OUTRO LADO

Encravada entre duas cidades onde as estatísticas pioraram, Nova Odessa se mantém estável nessa questão, quase nula: nenhum óbito no trânsito este ano até o mês passado, contra uma morte nos primeiro sete meses de 2018.

Outra cidade da região onde os números se mantiveram estáveis é Paulínia, que registrou 4 óbitos em cada período.

O destaque mais positivo na região vem sendo Hortolândia, que reduziu em 68,4% as mortes por acidentes de trânsito em 2019, baixando de 19 casos ocorridos em 2018, para 6 casos nos primeiros sete meses deste ano. A queda coincide com a instalação de radares, que passaram a fiscalizar o trânsito na cidade desde janeiro em diversas ruas e avenidas.

Campinas, a cidade mais populosa da região, com mais de 1,1 milhão de habitantes, também teve redução de mortes no trânsito, em índice de 16,8%. Foram 69 casos neste ano, contra 83 ocorridos de janeiro a julho de 2018.

Os números do Infosiga-SP são mais completos que os registrados, por exemplo, da SSP (Secretaria de Segurança Pública), pois acrescentam vítimas que eventualmente faleceram em algum hospital em consequência de acidentes, o que nem sempre acaba atualizado nas estatísticas mensais da SSP.

Os dados de vítimas fatais do Infosiga-SP diferem ainda de estáticas da PMRv (Polícia Militar Rodoviária), que se referem apenas aos acidentes, seja envolvendo veículos ou pedestres, que ocorrem nas rodovias estaduais, enquanto os óbitos computados nos levantamentos do Infosiga referem-se a mortes registradas tanto nas rodovias quanto nas áreas urbanas.

Receba as notícias do Todo Dia no seu e-mail
Captcha obrigatório

Veja Também

Veja Também