quarta-feira, 24 julho 2024

Molho de tomate perfeito é o natural

Sempre vale a pena conhecer mais sobre o assunto e receber dicas de um especialista 

Quem ama cozinhar normalmente possui uma receita deliciosa, muitas vezes de família, de molho de tomate, não é mesmo? Mas sempre vale a pena conhecer mais sobre o assunto e receber dicas de um especialista, para que possamos diversificar as preparações e inovar ainda mais nas receitas. Por isso, o Clube Gourmet conversou com a gastrônoma e padeira Larissa Pedretti, especialista em massas e docente da área de Alimentos e Bebidas do Senac-Mogi Guaçu.

Para começar, Larissa indica o tomate italiano para a preparação do molho. “O tomate tipo italiano, in natura, é o mais utilizado aqui. Ele é alongado, possui menos sementes e tem mais polpa. Sua acidez é equilibrada, juntamente ao seu dulçor. Mas também podemos recorrer aos tomates pelados enlatados, pois são minimamente processados e rendem bons molhos também”, orienta.

Segundo a especialista, para o molho, os tomates precisam estar sem a pele e a melhor maneira de retirá-la é cortando um pequeno X na parte inferior dos tomates, mergulhá-los em água fervente por aproximadamente 1 a 2 minutos e retirá-los, mergulhando-os imediatamente em água bem gelada.

Entre as ervas que podem incrementar ainda mais sabor ao molho, a especialista indica o manjericão, o orégano e louro, que podem ser utilizados frescos ou secos, além de tomilho, sálvia, manjerona e coentro frescos.

E será que um bom molho de tomate pode ser feito com outros vegetais, além da fruta? Larissa diz que sim, definitivamente. “Não só pode, como deve! Além de agregar sabores, podemos enriquecê-los também nutricionalmente. Pimentões, cenoura, cebola, alho, salsão, beterraba são as minhas sugestões”.

Preparações e congelamento

Quanto às formas de preparação, o molho pode ser cru, muito utilizado em pizzas ou em tamacas; assado, inclusive na churrasqueira, para dar um toque defumado; pode ser cozido de forma mais rápida ou lenta e ser fervido lenta ou rapidamente. “Os processos são inúmeros e podemos designar diferentes objetivos com eles”, salienta a chef.

E todo molho de tomate pode ser congelado, conforme Larissa Pedretti. Para isso, deve ser rapidamente resfriado com um banho-maria invertido e aí sim seguir para o congelador. Já o descongelamento deve ser lento e gradual, na geladeira.

“O importante é trabalharmos o molho de tomate da maneira mais natural possível, fugindo dos molhos prontos, normalmente processados e até ultraprocessados, sem que o tomate prevaleça como ingrediente principal. E, dentro do possível, utilizar os melhores ingredientes à disposição, nos dedicando aos processos com calma, carinho e atenção”, termina.

Sugestão de molho de tomate – chef Lalá Pedretti

Ingredientes

1kg de tomates maduros, 200g de cebola, 4 dentes de alho, 100g de pimentão vermelho, 80g de cenoura.

Modo de preparo

Retire a pele dos tomates, as sementes e corte-os em cubos. Bata o pimentão e a cenoura no liquidificador, com 60ml de vinho branco seco. Em uma panela, aqueça um fio de azeite e refogue os temperos batidos. Adicione os tomates em cubos. Adicione uma folha de louro e cozinhe em fogo baixo, por aproximadamente 40 minutos. Salgue à gosto. Adicione pimenta do reino e finalize com manjericão e orégano frescos. 

Receba as notícias do Todo Dia no seu e-mail
Captcha obrigatório

Veja Também

Veja Também