sexta-feira, 12 abril 2024

Documentário relata sofrimento, assédio e obsessão em Hollywood

Você gosta de fazer isso? Então por que está bocejando?”, pergunta a coach a um menino claramente disperso. Não há como saber. Mas uma certeza é possível ao ver Marc Slater na tela -a de que ele adoraria estar em qualquer outro canto e não bem ali. 

Filho de um casal do estado da Flórida que se mudou para Los Angeles, o garoto sonha em se tornar ator -ou ao menos é nisso que a família toda acredita, o que justifica a troca de endereço e o uso das economias, como conta o pai. Os três fazem parte do documentário “Showbiz Kids”. 

Slater ainda não é parte da indústria do entretenimento. Como parte da transição, os pais fazem de tudo, inclusive contratar a tal coach de atuação. Slater faz contraponto à história de atores e atrizes adultos, famosos, que trabalham desde muito pequenos. 

Do outro lado, estão Wil Wheaton, Milla Jovovich, Evan Rachel Wood, Henry Thomas, Todd Bridges e Mara Wilson. 

Wil Wheaton, astro de “Conta Comigo”, clássico de 1986, revela que, se pudesse escolher, teria uma infância diferente. Era sua mãe, no entanto, quem gerenciava a carreira. 

Hoje, aos 48 anos, ele lamenta a participação no trash “A Maldição – Raízes do Terror”, lançado só um ano após “Conta Comigo” estourar e diz que grande parte dos deslizes se deve ao egoísmo materno. 

Henry Thomas, de “E. T.”, diz que, no que depender dele, seus filhos jamais seguirão a carreira artística e relata bullying e bajulação extrema. 

Entre as mulheres, não são raros relatos de conduta duvidosa de colegas de equipe. Milla Jovovich, que aos 15 fez sucesso em “De Volta à Lagoa Azul”, fala sobre uma adolescência lotada de maquiagem, salto alto e sexualização. 

Receba as notícias do Todo Dia no seu e-mail
Captcha obrigatório

Veja Também

Veja Também