PUBLICIDADE

PUBLICIDADE

Futebol além das quatro linhas

Séries relacionadas à modalidade esportiva abrem mão de total independência por poucos bastidores

Houve uma época no futebol em que os vestiários ficavam escancarados aos profissionais de rádio e TV que desejassem entrevistar algum jogador. Em alguns casos, com os atletas recém-saídos do banho, ainda nus. 

PUBLICIDADE

Esse tipo de acesso diminuiu ao longo dos anos. Hoje, a conversa dos personagens do jogo com a mídia fica reservada às entrevistas coletivas e às zonas mistas. 

Os clubes transformaram em produto os bastidores dos times, com TVs oficiais produzindo conteúdo exclusivo da forma que lhes convém. 

PUBLICIDADE

Recentemente, as produtoras de conteúdo para streaming começaram a atacar esse filão, que ganha espaço em plataformas como Netflix e Amazon Prime Video. 

O cardápio de títulos à disposição mostra, porém, que as produtoras, para ter o acesso aos bastidores dos grandes clubes, têm de abrir mão de uma independência integral sobre o conteúdo. 

PUBLICIDADE

SUNDERLAND 

Lançada em dezembro de 2018, a série “Sunderland Até Morrer”, da Netflix, virou referência no tema. Pensada como uma produção para promover o retorno do time à primeira divisão inglesa, terminou por mostrar a derrocada que culminou no rebaixamento à terceira divisão do país, com todo o drama que esse tipo de situação implica. 

Apesar do mérito de falar com dirigentes, técnicos e jogadores, a série esbarrou na porta do vestiário, cuja entrada foi proibida pelos treinadores que comandaram a equipe na temporada 2016/2017, Simon Grayson e Chris Coleman. Esbarrou, também, na porta do diretor de futebol do Sunderland, Martin Bain, que apesar das entrevistas, não permitiu a filmagem de algumas conversas durante a janela de transferências. 

MANCHESTER 

Após negociação com a Amazon, o Manchester City recebeu R$ 50 milhões para exibir seus bastidores, mas com uma condição: a diretoria do clube tinha direito a veto sobre quaisquer imagens produzidas ao longo das filmagens na edição final. 

O resultado pode ser visto na série “All or Nothing: Manchester City”, lançada em 2018 no serviço de streaming Amazon Prime Video. 

Além de Sunderland e Manchester City, outros clubes do futebol mundial têm suas produções disponíveis no streaming, como Juventus, Boca Juniors e River Plate, no Netflix, e o Borussia Dortmund, no Amazon Prime Video. Esses, porém, trazem ainda menos detalhes das turbulências vividas no dia a dia de um clube. 

FLAMENGO 

Recentemente, o Flamengo entrou para a lista de times contemplados. Os rubro-negros tiveram um documentário lançado no Globoplay sobre o título da Copa Libertadores. A participação no Mundial de Clubes também irá render uma produção, desta vez para o Amazon Prime Video. 

PUBLICIDADE

Pin It on Pinterest

Share This