sexta-feira, 24 maio 2024

‘Rock in Rio’: A primeira semana

Pulando e sorrindo, aos 57 anos, Jon Bon Jovi subiu ao palco Mundo, o principal do Rock in Rio, às 0h32, começo da madrugada desta segunda-feira (30), para fechar o terceiro dia do evento. 

Abriu com a ótima “This House Is Not for Sale”, de seu disco de 2016. De cabelos grisalhos e mais curtos do que nos anos 1980, cantou sem gritar a música seguinte, o grande sucesso “Born to Be My Baby”, de 1988. 

“You Give Love a Bad Name” chacoalha a arena do rock. Sem Richie Sambora, seu parceiro de 30 anos, ele mantém o carisma e domina a plateia. Ainda teve “Keep the Faith”, “Bed of Roses”, “It’s My Life”, “Lay Your Hands on Me”, “Wanted Dead or Alive” e “Bad Medicine”. 

Após cinco minutos de suspense, o bis com a matadora balada “I’ll Be There for You” e o estupendo rock “Livin’ on a Prayer”. 

As versões não foram viscerais, longe disso. O que se viu foi mais uma banda de apoio ao cantor, que se esforçou a valer. Mesmo assim, é certo dizer que foi a set list mais ‘matadora’ do primeiro fim de semana desse Rock in Rio 2019. 

LELLÊ E BLAYA 

O primeiro dia do Rock in Rio, na noite desta sexta (27), começou com shows de forte carga política, como no show das cantoras Lellê e Blaya, que abriram o palco Sunset com um show engajado, repleto de referências à black music, à vida nas favelas e ao funk. 

Já nos primeiros minutos da apresentação, o telão mostrou o rosto da vereadora Marielle Franco, que foi assassinada no ano passado. A projeção foi acompanhada do áudio de um discurso da parlamentar. 

Outras manifestações políticas fortes ainda aconteceram nos shows de Elza Soares e Karol Conká. 

SEAL 

Seal fechou a programação oficial do palco Sunset, na sexta-feira (27), primeiro dia do Rock in Rio 2019. 

O cantor inglês teve uma participação especial. Ele convidou a baiana Xenia França para cantar “Higher Ground”, de Stevie Wonder, e “Future Love Paradise”. Ela entrou de surpresa enquanto Seal já esboçava o primeiro hit – e fizeram um belo dueto. 

CPM E RAIMUNDOS 

Uma espécie de bateção de cabeça coletiva impulsionada pela nostalgia de alguns dos maiores hits dos anos 1990 e 2000 abriu um Palco Mundo lotado no começo da noite deste sábado (28) com o encontro das bandas Raimundos e CPM 22. 

Foram 16 músicas apresentadas pelo supergrupo liderado por Badauí e Digão, culminando com um karaokê coletivo que berrou a plenos pulmões a letra impecavelmente decorada de “Um Minuto Para o Fim do Mundo”. 

LINIKER 

Liniker e os Caramelows fizeram um pocket-show surpresa na tarde de sábado (28). A cantora e sua banda receberam Criolo para uma participação especial. 

A apresentação no espaço do Itaú no festival durou cerca de 30 minutos e teve 5 músicas, sendo 2 delas com o cantor paulistano. 

TENACIOUS D 

Sob chuva fraca e com uma plateia numerosa, o Tenacious D estreou no Rock in Rio com sua sátira roqueira. Como era esperado, o grupo do ator Jack Black chamou o baixista brasileiro Junior Bass Groovador, famoso na internet por divulgar uma versão em forró de “Smells Like Tenn Spirit”, do Nirvana. 

WHITESNAKE 

Todos estavam felizes ao ver David Coverdale sorridente no palco, aos 68 anos, que mal se continha por estar de volta ao festival após 34 anos, após o show na primeira edição, em 1985. 

O Whitesnake terminou o show com “Burn”, canção de 1974 do Deep Purple, grande clássico do heavy metal. Coverdale era o vocalista da banda na ocasião. O público agradece aos pulos. 

FOO FIGHTERS 

Dave Grohl entrou no palco Mundo do Rock in Rio, na virada de sábado para domingo, à 0h10, como um roqueiro de verdade: batendo que nem louco nas cordas de sua guitarra e dando berros de neandertal meia dúzia de vezes. 

Começou com “Pretender”, um rock’n’roll num estilo bem clássico, pedindo para o público bater palmas, gritando”I like it” (gosto disso) e solando com vontade. Assim, Grohl e seus Foo Fighters ganharam a arena de cara, engatando “Learn to Fly”, sucesso que está completando 20 anos de idade. 

DAVE MATTHEWS 

Dave Matthews e sua banda entraram com seu soft rock pouco antes 22h30 do domingo (29) no palco Mundo, o principal do Rock in Rio. 

A banda, tecnicamente, toca provavelmente melhor que qualquer outra até agora no Rock in Rio 2019. O problema é que seu líder tem zero carisma. Não empolga ninguém e não parece empolgado por nada.

Receba as notícias do Todo Dia no seu e-mail
Captcha obrigatório

Veja Também

Veja Também