sexta-feira, 19 julho 2024

Operação detém quadrilha que deu desfalque de R$ 5 mi

A 1ª DIG (Delegacia de Investigações Gerais) da Deic (Delegacia Estadual de Investigações Criminais) de Campinas deflagrou a operação “Invoice”, para combater o roubo e receptação de cargas e estelionato pela Internet. O prejuízo foi estimado em R$ 5 milhões. 

A operação começou às 4h desta segunda-feira (27), mas a investigação transcorria há cinco meses. Grande quantidade de material foi apreendida. 

INVESTIGAÇÃO | Policiais durante a operação deflagrada na madrugada desta segunda

Em Sumaré, foram cumpridos quatro mandados de busca e efetuadas três prisões. Um dos acusados já tinha passagens por estelionato e receptação. Entre os presos está um homem suspeito de ser o chefe da quadrilha. 

Policiais civis cumpriram 15 mandados de prisão e 26 de busca e apreensão em Sumaré, Jandira, Cotia, Embu das Artes, Itapevi, São Paulo e Praia Grande, além de Poços de Caldas e Andradas, cidades do Sul de Minas Gerais. 

Em Sumaré, foram apreendidos eletroeletrônicos, fogões, geladeiras, ar-condicionado e notebook. Na Praia Grande, no litoral paulista, foi apreendido um revólver. Nas cidades da Grande São Paulo, os policiais apreenderam documentos. 

NA CAIXA | Carga de equipamentos eletrônicos apreendida

A organização também tinha ramificação no Sul de Minas, onde foram apreendidos cerca de R$ 150 mil em eletrodomésticos, computadores, tablets, iPhones e cartões de crédito clonados. 

MODUS OPERANDI 

A quadrilha agia de diversas formas. Entre elas, desvio de carga e clonagem de cartão de crédito para comprar mercadoria em sites em nome das vítimas. 

Os integrantes da quadrilha compravam produtos pela internet com uso de documento falso para dar golpes nos e-commerces. Por isso, os integrantes da quadrilha dispunham das notas fiscais dos equipamentos. 

O delegado titular da 1ª DIG, da Deic de Campinas, José Carlos Fernandes da Silva, informou, em nota, que os produtos roubados eram comprados por um valor bem abaixo do mercado e eram revendidos na internet. 

O esquema era coordenado através de um grupo de WhatsApp, que foi batizado de Família Universal. O delegado José Carlos estima um prejuízo em R$ 5 milhões. 

Os detidos foram indiciados por formação de quadrilha, estelionato, receptação e falsidade ideológica, falsificação de documento público e lavagem de dinheiro em várias partes do país. 

A quadrilha fez vítimas em Campinas, Sumaré e em outras cidades dos estados de São Paulo e de Minas Gerais. Foram vítimas de roubo de carga de eletroeletrônicos como geladeira, ar-condicionado, celulares, fogões, liquidificadores, entre outros. 

O esquema incluía a compra de mercadoria com cartão clonado. A operação foi desencadeada após uma vítima ver anunciado na internet um produto dela que havia sido roubado. 

Até o fechamento desta edição, o Deic ainda computava a quantidade de mercadorias apreendidas. 

Receba as notícias do Todo Dia no seu e-mail
Captcha obrigatório

Veja Também

Veja Também