quarta-feira, 28 fevereiro 2024

Arábia Saudita diz que interceptou míssel que atingiria cidade de GP da F1

O grupo Houthi, do Iêmen, alinhado ao Irã, já havia atacado uma planta de distribuição da Aramco, companhia petrolífera estatal saudita

(Foto: REUTERS/aHMED Yosri/Agência Brasil)

A mídia estatal da Arábia Saudita informou neste domingo (20) que a coalizão liderada pelos sauditas que luta no Iêmen disse que interceptou e destruiu um “alvo aéreo hostil” que visava a cidade de Jeddah, que receberá a Fórmula 1 no próximo fim de semana.

O grupo Houthi, do Iêmen, alinhado ao Irã, já havia atacado uma planta de distribuição da Aramco, companhia petrolífera estatal saudita, em Jeddah, depois de disparar mísseis e drones contra instalações sauditas de energia.

No caso da planta de distribuição da Aramco, o ataque resultou em um pequeno incêndio, que foi controlado e não deixou feridos.

Hoje, a Arábia Saudita alertou que os ataques de rebeldes iemenitas às instalações petrolíferas do país representam uma “ameaça direta” ao fornecimento global. Em um comunicado, o ministério das Relações Exteriores afirmou que os sauditas “não terão responsabilidade” se houver escassez de suprimentos devido a ataques dos houthis.

Já a temporada 2022 da Fórmula 1 começou no último fim de semana com o GP do Bahrein, vencido por Charles Leclerc, da Ferrari. Agora, a categoria desembarca na Arábia Saudita com os treinos livres na sexta-feira (25).

Receba as notícias do Todo Dia no seu e-mail
Captcha obrigatório

Veja Também

Veja Também