sábado, 25 maio 2024

Atacante marca contra e Irã vence

FOLHAPRESS | RÚSSIA
Há 16 jogos, desde o Mundial de 2010, uma equipe representando a Ásia não vencia um jogo de Copa do Mundo. Coube ao Irã, no gramado de São Petersburgo, acabar com a escrita após um gol contra do marroquino Bouhaddouz aos 50 minutos do segundo tempo.

Com a vitória iraniana sobre Marrocos por 1 a 0, o sonho de passar da fase de grupos dos jogadores liderados pelo português Carlos Queiroz permanece vivo. As duas equipes iniciaram a partida em clima de final de Copa do Mundo. Ainda mais pelo ambiente festivo e barulhento das torcidas marroquinas e iranianas, dois países de maioria muçulmana que vivem em tensões políticas e religiosas.

Mas tanto dentro quanto fora do estádio, e nos pontos turísticos da cidade de São Petersburgo, antiga Leningrado, o clima foi de festa durante todo o dia. Uma prova que o esporte pode unir povos ocorreu durante a execução do hino nacional das duas seleções.

MARROQUINOS
A torcida de Marrocos, mais numerosa, cantou alto a letra do hino dela. Em seguida, aplaudiu de pé a execução do hino do Irã. Muitas mulheres com a camisa da seleção iraniana estiveram em peso nas arquibancadas da moderna arena de São Petersburgo. Elas são proibidas, pelos líderes xiitas, de assistirem futebol nos estádios do Irã. O que não ocorre em Marrocos, de maioria sunita.

O gol no final do jogo acabou com o ânimo da torcida da seleção do país africano, que fez muita festa desde as primeiras horas do dia.

Reforçando o retrospecto recente das duas equipes, que não perderam nenhum jogo durante as eliminatórias. Ironia do futebol, o gol saiu exatamente da cabeça de um atacante, que finalizou contra o próprio gol.

A seleção de Marrocos, que ficou com a bola 63% da partida, acertou no alvo três dos 13 chutes que deu.

Receba as notícias do Todo Dia no seu e-mail
Captcha obrigatório

Veja Também

Veja Também