Sábado, 25 Junho 2022

Times grandes de SP reduzem salários de jogadores, técnicos e funcionários

Times grandes de SP reduzem salários de jogadores, técnicos e funcionários

O Palmeiras anunciou nesta quinta-feira (30) uma redução salarial de 25% no departamento de futebol. O acordo engloba os salários dos meses de maio e

O Palmeiras anunciou nesta quinta-feira (30) uma redução salarial de 25% no departamento de futebol. O acordo engloba os salários dos meses de maio e junho de todo o elenco, além da comissão técnica, comandada por Vanderlei Luxemburgo, e dos departamentos financeiros e jurídicos. 

O comunicado diz que a diretoria do Palmeiras tomou a medida diante da paralisação das atividades esportivas em decorrência da pandemia de Covid-19. O Campeonato Paulista está suspenso desde o dia 16 de março, enquanto o Campeonato Brasileiro não tem previsão de início. 

O clube alviverde não é o primeiro a tomar medida nesse sentido. No último dia 21, o São Paulo fez acordo para suspender o pagamento dos direitos de imagem, que correspondem a até 40% do salário dos jogadores. Os contratos em carteira do elenco são-paulino foram reduzidos em 50%, com a previsão que essa diferença seja quitada quando o futebol voltar à normalidade. 

O Palmeiras também alterou o fluxo do pagamento dos direitos de imagem: os valores de abril serão divididos entre os meses de agosto e dezembro deste ano, enquanto os de maio serão divididos entre janeiro e junho de 2021. 

"Vivemos um momento de uma crise de grandes proporções no mundo", disse o presidente do Palmeiras, Maurício Galiotte. 

O comunicado do Palmeiras reúne alguns posicionamentos favoráveis às medidas, de Luxemburgo e dos atletas Dudu, Bruno Henrique e Felipe Melo. "Essa decisão democrática é a maneira que temos para contribuir com o equilíbrio financeiro do clube, a manutenção do seu quadro de funcionários e atravessar esse momento da melhor maneira possível", afirma o técnico. 

Corinthians e Santos informaram que também adotaram dispositivos da Medida Provisória 936. O texto, editado pelo governo federal para tentar amenizar os impactos da crise durante o isolamento social, permite que empresas reduzam jornadas e salários em até 70% por três meses e suspendam contratos de trabalho por dois meses. 

O Corinthians diz que essa medida se aplica atualmente aos funcionários do clube. Quanto aos jogadores, a diretoria "aguarda o retorno dos atletas do período de férias para definir como o elenco profissional de futebol irá contribuir para a mitigação dos efeitos econômicos da crise". 

O Santos também antecipou as férias dos seus atletas e, conforme permite a MP, irá pagar o terço adicional sobre as férias no mês de dezembro. 

Procurado pela reportagem, o clube não retornou até a publicação deste texto. Até a semana passada, planejava oferecer uma redução de até 50% do salário para atletas e funcionários. 

Todos os clubes afirmam terem pago os salários em regime CLT (Consolidação das Leis do Trabalho) de março (quitados no início de abril). 

Ao aceitar, você acessará um serviço fornecido por terceiros externos a https://tododia.com.br/