segunda-feira, 22 julho 2024
OPINIÃO

Benedictus

Por
Ailton Gonçalves Dias Filho,
Foto: Arquivo Pessoal

Escrevi no último domingo uma reflexão sobre o Magnificat, o cântico de Maria. Hoje, me atrevo a refletir sobre outro cântico de conteúdo natalino. Trata-se do Benedictus, atribuído a Zacarias, pai de João Batista, o precursor do Messias.

Zacarias era sacerdote na Judeia. Era esposo de Isabel, que, além de idosa, era também estéril. No magistral registro de Lucas há a informação da visita que o anjo Gabriel faz a ele, informando que sua esposa daria à luz a João Batista. Por não acreditar na mensagem angelical, Zacarias fica mudo até o nascimento de João Batista. É exatamente após o nascimento do menino que ele, cheio do Espírito Santo, começou a falar, trazendo à luz o Benedictus, chamado assim conforme sua primeira palavra em latim. O Benedictus é um cântico de ação de graças e lembra-nos a visitação e a redenção do povo por parte de Deus. A chegada de João Batista já é um prelúdio de um outro nascimento que, ao acontecer, mudaria o mundo. O cântico é um reconhecimento do agir de Deus na história. Deus não está distante, alienado. É Deus que age. Embora esteja acima de todos, Ele prefere estar no meio de todos, no nosso meio. Ele prefere visitar seu povo, cumprindo suas promessas, agindo na história.

O Benedictus aponta para João Batista como também aponta com intensidade para Jesus Cristo, “o sol nascente das alturas, para alumiar os que jazem nas trevas e na sombra da morte, e dirigir os nossos pés pelo caminho da paz”. Como estamos precisando, nestes dias, de sermos guiados pelos caminhos da paz.

O Benedictus é também uma seta que aponta para a “entranhável misericórdia de nosso Deus”. Natal é a visitação de Deus como um ato de misericórdia e amor. Natal é presença de Deus entre nós. Lucas mostra que o Benedictus é fruto da presença do Espírito Santo na vida de Zacarias. A presença de Deus é inspiradora. A presença de Deus pode nos fazer cantar. Zacarias, após o nascimento de João Batista, começa a falar desimpedidamente. Irrompe em louvor a Deus. “Bendito seja o Senhor Deus de Israel, porque visitou e redimiu o seu povo, e nos suscitou plena e poderosa salvação…”.

Neste terceiro domingo do Advento, convido os leitores a refletir na riqueza deste cântico, celebrando um santo e feliz Natal. Vale a pena visitar o médico Lucas e se entregar à leitura de seu material e se juntar a Zacarias em ação de graças.

“Bendito seja o Senhor…”

É isso.

Receba as notícias do Todo Dia no seu e-mail
Captcha obrigatório

Veja Também

Veja Também