sábado, 22 junho 2024

UMA IGREJA PARA O SÉCULO XXI

Por Ailton Gonçalves Dias Filho, pastor presbiteriano
Por
Ailton Gonçalves Dias Filho
Foto: Arquivo Pessoal

O último censo revelou que o Brasil tem mais templos religiosos que hospitais. De fato, o que não falta em nosso país é igreja. Em cada bairro, em cada esquina temos um templo religioso.

A quantidade de igrejas não tem refletido na qualidade de vida da sociedade brasileira. Temos igrejas completamente inoperantes e irrelevantes no país. A partir de Atos 2.37-42, quando Lucas faz um resumo da vida dos crentes, quero propor algumas posturas para uma igreja no século XXI.

Primeira postura, perseverar naquilo que é essencial. Lucas relata o dia a dia da Igreja do primeiro século, afirmando que eles persistiam em atividades essenciais. O partir do pão, a comunhão e as orações. Valores do reino de Deus que são essenciais e não podem faltar na vida de uma comunidade cristã. A igreja cristã perde o rumo quando deixa de lado aquilo que é essencial e preocupa-se com coisas secundárias, sem relevância.

Segunda postura, uma fé solidária. Todos os que creram tinham tudo em comum. A fé cristã não deixava que existisse ninguém com necessidades. A fé cristã se expressa em nossa solidariedade. Não dá para ser igreja e fechar os olhos às necessidades ao nosso redor. Temos hoje mais templos do que hospitais, mas, infelizmente, há necessitados entre nós. Um país com tantas igrejas deveria ter uma população em situação de rua? Encontro muitos que estão na rua que já pertenceram a igrejas cristãs. Perdemos o rumo? Deixamos de ser igreja?

Terceira postura, vida de devoção e devoção da vida. Diariamente desenvolviam sua piedade com temor a Deus. A igreja para o século XXI, um século materialista, é igreja piedosa que exercita uma vida de devoção a Deus e tem uma devoção para a vida.

Quarta postura, abrir-se para o imponderável. Somos igreja de Deus. Temos o temor a Deus, o Deus que é o mesmo do passado e continua agindo ainda hoje. Cremos nos milagres de Deus. A igreja é comunidade do imponderável.

A quinta postura é consequência de todas as outras. O crescimento. “Enquanto isso acrescentava-lhes dia a dia os que iam sendo salvos”. A evangelização é aquilo que acontece naturalmente na vida da igreja. Aquilo que transborda. Quando a igreja é igreja ela cresce naturalmente. Sua campanha de evangelização é o seu dia a dia, relevante, essencial e que atrai pessoas. Sejamos uma comunidade assim!

É isso!

Receba as notícias do Todo Dia no seu e-mail
Captcha obrigatório

Veja Também

Veja Também