sábado, 20 julho 2024
OPERAÇÃO FALSO EGÍDIO

Desvio de R$ 10 milhões em Programas Sociais é alvo da Polícia Federal

Grupo criminoso utilizava identidades de moradores de rua e subornava funcionários da Caixa para acessar ilegalmente os recursos
Por
Redação
Foto: Polícia Federal / Divulgação

A Polícia Federal deflagrou nesta quarta-feira (10) a Operação Falso Egídio, que visa desarticular um grupo criminoso especializado em fraudar programas sociais em cinco estados brasileiros, incluindo São Paulo, desviando cerca de R$ 10 milhões.

Ao todo, estão sendo cumpridos 11 mandados de prisão temporária e 16 de busca e apreensão também no Rio de Janeiro, Amazonas, Mato Grosso do Sul e Piauí.

Segundo informações da PF, estima-se que o grupo tenha desviado aproximadamente R$ 10 milhões dos programas de transferência de renda, com o auxílio de um servidor e duas funcionárias terceirizadas da Caixa Econômica Federal, instituição responsável pelo pagamento dos benefícios. Esses funcionários teriam recebido propina para facilitar o acesso dos criminosos ao aplicativo Caixa Tem.

Os fraudadores, de acordo com as investigações, utilizavam identidades de moradores de rua para abrir diversas contas bancárias fraudulentas. As vítimas não tinham conhecimento do uso indevido de suas informações pessoais. Posteriormente, os criminosos se apropriavam das contas digitais dessas pessoas por meio do Caixa Tem, desviando os recursos dos programas sociais para as contas fraudulentas.

Os valores desviados eram então distribuídos entre os membros da organização criminosa, conforme apurou a PF. Os mandados foram expedidos pela 2ª Vara Federal de Niterói, no Rio de Janeiro, e contaram com o suporte da Caixa Econômica Federal nas investigações.

Além do crime de participação em organização criminosa, os investigados serão responsabilizados pelos delitos de furto qualificado, lavagem de dinheiro e inserção de informações falsas em sistema de dados.

Receba as notícias do Todo Dia no seu e-mail
Captcha obrigatório

Veja Também

Veja Também