quarta-feira, 22 maio 2024

Em Americana mãe e filhos são resgatados pela Polícia Civil que foram exploradas em semáforos por dois meses

A mãe e os filhos de 8 e 6 anos eram obrigadas e pedir dinheiro em semáforos e comércios da cidade 

Foto: Divulgação / DIG

Lamentavelmente a cada dia que passa a violência está presente de muitas formas. E nesta quinta-feira (16) a Polícia Civil de Americana resgatou uma mulher de 35 anos e seus dois filhos de oito e seis anos que estavam desaparecidos há dois meses.

A família foi encontrada em um hotel no centro de Araraquara, de acordo com a Delegacia de Investigações Gerais (DIG), responsável pela investigação, a vítima Andrielli Betim de Souza dos Santos e seus filhos eram obrigadas a pedir dinheiro em semáforos e comércios da cidade.

Namorado da vítima, que foi responsável por tirar a família de casa, foi preso, enquadrado por ameaça, violência doméstica e lesão corporal, ele já tinha passagens criminais. De acordo com Lúcio Antônio Petrocelli, delegado titular da DIG de Americana, as vítimas foram retiradas de casa no dia 27 de janeiro, convencidas pelo individuo, e em seguida desapareceram.

A família da vítima que a procurava, relatou que ela possui deficiência intelectual e seu filho de oito anos também frequentava a APAE, com grau leve de autismo e faz uso de medicamentos contínuos, e que desde o dia 27 de janeiro, quando ela deixou a filha de 13 anos em casa e desapareceu com os outros filhos com a desculpa de que iria pagar uma conta.

A mãe da vítima registrou um boletim de ocorrência desconfiando do indivíduo que a filha havia conhecido pela internet e, a partir disso, a polícia iniciou a investigação. Segundo o delegado, o homem prometeu que teria uma “vida normal” com ela e os dois filhos, e que iria trabalhar, mas não foi o que aconteceu.

A família vivia precariamente e, antes de chegar a Araraquara, também havia passado por Limeira (SP) e Ribeirão Preto (SP). Durante os dois meses de desaparecimento, a polícia monitorou escolas e hospitais para tentar encontrar o paradeiro da família. Eles estavam sem comunicação alguma. A DIG solicitou a quebra do sigilo bancário, e identificaram compras feitas no cartão da vítima da diária no hotel em Araraquara, onde eles foram encontrados.

“Ela disse que se sentia ameaçada, era agredida, que o homem usava as crianças para pedir dinheiro e não conseguiu fazer contato com nenhum familiar porque ele dizia que se ela fosse embora ele iria matar ela e as crianças. Ele também agredia as próprias crianças, dava beliscão, tapas, dizia que não gostava de criança”, afirmou Lúcio Antônio Petrocelli.

O Conselho Tutelar de Americana, que já estava acompanhando o caso, foi acionado para auxiliar na transferência da guarda das crianças, que vão ficar com os avós. A mulher prestou depoimento como vítima e foi liberada, os filhos dela passaram por exame no Instituto Médico Legal (IML) para apontar possíveis lesões.

Mãe e filhos retornaram para a casa da família. 

Receba as notícias do Todo Dia no seu e-mail
Captcha obrigatório

Veja Também

Veja Também