quinta-feira, 23 maio 2024

Ataque em jornal nos EUA mata pelo menos 5

FOLHAPRESS
SÃO PAULO

Pelo menos cinco pessoas foram mortas e várias outras ficaram gravemente feridas hoje por um atirador que entrou no jornal americano Capital Gazette, que fica em Annapolis (Maryland), a cerca de 50 quilômetros de Washington. A polícia diz que o ataque durou dois minutos e que o atirador, que usou uma espingarda, foi detido. O total de feridos não havia sido divulgado.
Até a conclusão desta edição pouco se sabia sobre o criminoso, além de que era um homem branco – ele não tinha nenhum documento de identidade e os dedos estavam machucados, o que dificultava a análise das digitais. As motivações do ataque também eram desconhecidas.
As autoridades policiais disseram também que foi encontrado no local um suposto dispositivo explosivo e que chegaram no prédio do jornal um minuto após serem chamadas.
Os relatos das autoridades da cidade apontam ainda que o atirador foi encontrado escondido embaixo de uma mesa e já sem a arma. Elas disseram que tiveram de pular sobre corpos estendidos no chão para chegar até ele, que se rendeu assim que viu os oficiais.
Uma das testemunhas, o jornalista da Capital Gazette Phil Davis afirmou que não sabe por que o homem parou de atirar. “Não há nada mais aterrorizante do que ouvir múltiplas pessoas serem baleadas enquanto você está embaixo de sua mesa e, então, ouvir o atirador recarregar sua arma”, contou, nas redes sociais, Davis, que tuitou direto da Redação, no momento dos disparos.
Segundo ele, o criminoso atirou contra a porta de vidro da Redação, entrando no local, e passou a disparar contra os funcionários. Davis, que é repórter de assuntos policiais, disse que o escritório do jornal parecia uma zona de guerra.
A ação aconteceu por volta das 14h40 de Maryland (15h40 em Brasília). Uma hora depois, funcionários começaram a sair do edifício, acompanhados por policiais. Havia cerca de 170 pessoas no prédio na hora do ataque.
Na noite desta quinta-feira, ouvia-se apenas o som de helicópteros sobrevoando o prédio, isolado pela polícia. Dezenas de jornalistas aguardavam do lado de fora, em silêncio. “Esse é o novo normal na América. É assustador”, afirmou o prefeito de Anápolis, Gavin Buckley.
O jornal fica numa área distante do centro, num prédio comercial, de quatro andares e que abriga diversos escritórios (advogados, contadores e médicos, por exemplo). Todos foram isolados pela polícia.
Annapolis é uma cidade histórica, capital do estado de Maryland, sede da Escola Naval americana e tem pouco menos de 40 mil habitantes.
A Capital Gazette existe desde 1884 e é publicada diariamente em Annapolis, priorizando temas da região.
“É o nosso jornal local. Ele fala sobre os times dos nossos filhos, sobre o gato que foi resgatado na árvore, sobre gangues locais. E faz um bom jornalismo”, declarou o prefeito.
O site do jornal, com a ajuda de repórteres que não estavam na sede, era atualizado com as notícias do ataque.
A polícia também foi enviada para o jornal Baltimore Sun, na cidade de Baltimore, que é dono da Capital Gazette. A medida seria apenas por precaução, já que não haveria ameaça contra a publicação.
Publicações em Nova York, como o New York Times e redes de TV, e em Los Angeles (Los Angeles Times, por exemplo) receberam reforço policial.

 

Receba as notícias do Todo Dia no seu e-mail
Captcha obrigatório

Veja Também

Veja Também