domingo, 21 abril 2024

Ana Perugini emite nota de repúdio aos atos no Congresso Nacional

A Deputada Estadual Ana Perugini (PT) classificou os ataques ao Palácio do Planalto e ao STF como “terroristas”, que ocorreram neste domingo (8). 

Foto:Divulgação

“É nosso dever dar um basta a esse movimento golpista incentivado por Bolsonaro”, diz a Deputada Estadual Ana Perugini (PT), classificando os ataques ao Palácio do Planalto e ao STF como “terroristas”, que ocorreram neste domingo (8).

“A invasão e a destruição dos prédios que abrigam os três poderes da República – com prejuízos estruturais, arquitetônicos, históricos e artísticos incalculáveis – foi um ataque sem precedentes à democracia que precisa ter uma resposta proporcional do Estado”, afirma a deputada eleita em 2022.
Perugini declara que a “democracia foi duramente atacada, mas segue firme e inabalável, protegida pela Constituição Federal, pelos poderes constituídos e sustentada pelos brasileiros e brasileiras que repudiam atitudes como essa e não veem a postura antidemocrática, o crime e o vandalismo como caminhos para fazer valer suas vontades e ideologias”. Segundo ela, a tentativa de golpe de Estado fracassou.
“Agora, é nosso dever e de todas as instituições brasileiras dar um basta a esse movimento golpista incentivado pelo ex-presidente Bolsonaro e financiado por seus apoiadores. Acompanhamos os desdobramentos desses atos inaceitáveis, com a detenção de bolsonaristas radicais que participaram da ação criminosa, a identificação dos financiadores da barbárie, a desmontagem de acampamentos e a desobstrução de rodovias no país (o que deve ocorrer, também, imediatamente, na região de Campinas e no Estado de São Paulo), conforme determinação do Supremo Tribunal Federal”, complementou.

Ana Perugini ainda diz que, “precisamos de serenidade para que a ordem e a paz sejam restabelecidas e possamos seguir trabalhando na construção de um país melhor para todos nós”, finaliza. 

Receba as notícias do Todo Dia no seu e-mail
Captcha obrigatório

Veja Também

Veja Também