sexta-feira, 19 julho 2024

Bolsonaro repete mentiras e impõe condição sobre eleições

Presidente e candidato à reeleição foi o primeiro entrevistado do JN ontem

SABATINA | Jair Bolsonaro durante a entrevista concedida ao Jornal Nacional ontem (Foto: Reprodução)

O presidente Jair Bolsonaro (PL) mentiu nesta segunda-feira (22) ao ter afirmado que nunca xingou ministros do STF (Supremo Tribunal Federal). A declaração foi dada durante sabatina dos presidenciáveis no Jornal Nacional, da Rede Globo. O presidente da República foi o primeiro candidato a presidente a participar do programa. No ano passado, contudo, o chefe do Executivo chamou o ministro Alexandre de Moraes de “canalha”. Além disso, já chamou o ministro Luís Roberto Barroso de “filho da puta”.

Na entrevista, Bolsonaro também mentiu sobre as ações do governo na pandemia, ao negar ter barrado a compra de vacinas, o que ocorreu. Bolsonaro voltou a levantar dúvidas sobre a segurança das urnas eletrônicas, citando informações já refutadas pela Polícia Federal.

O presidente foi cobrado pelos apresentados a assumir um compromisso de que respeitará o resultado das eleições. No entanto, novamente colocou uma condicionante de que faria isso se considerar que as eleições foram “limpas” – o que ele nega ocorrer, já que segue colocando em dúvida o sistema eleitoral do país.

“Serão respeitados os resultados das urnas desde que as eleições sejam limpas”, afirmou o presidente. Bolsonaro também foi questionado sobre as ações antidemocráticas de seus apoiadores. Respondeu que se trata de “liberdade de expressão”. “Quando alguns falam em fechar o Congresso, é liberdade de expressão deles. Eu não levo para esse lado.” Bolsonaro foi questionado se faltou compaixão de sua parte por ter imitado pacientes de Covid-19 que tinham falta de ar.

“A solidariedade eu me manifestei conversando com o povo nas ruas, visitando as periferias de Brasília, vendo pessoas humildes que foram obrigadas a ficar em casa sem ter um só apoio de governador ou prefeito. E nós demos auxílio emergencial imediatamente”, disse.

CANDIDATOS 

Nesta semana também serão sabatinados Ciro Gomes (dia 23), Luiz Inácio Lula da Silva (25) e Simone Tebet (26). Apesar de Bolsonaro fazer críticas recorrentes à Globo e de já ter até orientado sua militância a não assistir a emissora, a entrevista ao JN é tratada pelo entorno do presidente como um dos momentos mais importantes da campanha.

Bolsonaristas prepararam uma grande mobilização nas redes sociais para aumentar a repercussão da sabatina. A hashtag #BolsonaroNoJN foi usada em postagens nas redes sociais por ministros do governo e filhos do mandatário.

Receba as notícias do Todo Dia no seu e-mail
Captcha obrigatório

Veja Também

Veja Também