quarta-feira, 6 dezembro 2023

Caça cai em edifício na Rússia e deixa ao menos 4 mortos

Avião estava em missão de treinamento; queda provocou incêndio  

INCIDENTE | Caça estava em operação de treinamento, segundo o governo russo (Foto: Reprodução)

Um avião caça caiu e colidiu nesta segunda- -feira, 17, em um edifício residencial na cidade de Ieisk, no sul da Rússia e próxima à Ucrânia, e pelo menos quatro pessoas morreram. A colisão causou um incêndio nos andares superiores do prédio de nove andares. Cerca de 25 pessoas estão feridas e 6, desaparecidas, segundo agências de notícias russas.

O Ministério da Defesa russo afirmou que os dois tripulantes da aeronave estavam em uma missão de treinamento e ejetaram em segurança antes da colisão. A queda foi atribuída pelo ministério a uma falha no motor. “Enquanto subia para realizar um voo de treinamento do aeródromo militar do distrito militar do Sul, uma aeronave Su34 caiu”, diz o comunicado do ministério “A causa da queda da aeronave foi um incêndio em um dos motores durante a decolagem.”

O incêndio no edifício foi registrado por imagens divulgadas em redes sociais. As agências de notícias russas informam que cerca de 600 pessoas moravam no local e serão realocadas em hotéis e pousadas. O presidente russo, Vladimir Putin, enviou ao local os ministros de Situações de Emergência e de Saúde. 

Segundo a agência de notícias Interfax, os andares superiores do prédio desmoronaram e cerca de 45 apartamentos foram danificados “O fogo engoliu vários andares ao mesmo tempo”, escreveu o governador regional, Veniamin Kondratiev, mais cedo.

A cidade de Ieisk está localizada no Mar de Azov, em frente à cidade ucraniana de Mariupol, devastada por bombardeios e um longo cerco nos primeiros meses da ofensiva russa. O Comitê Estadual de Investigação da Rússia, que lida com crimes graves, disse que abriu um caso criminal e enviou investigadores ao local para apurar o acidente.

BIELORÚSSIA
A Bielorrússia receberá um total de 9 mil soldados russos e 170 tanques como parte de uma nova força militar conjunta. A informação é de funcionários do Ministério da Defesa do país, divulgada nesta segunda-feira, 17 O presidente da Bielorrússia, Alexander Lukashenko, anunciou a formação da nova força na semana passada, em resposta ao ataque da Ucrânia à Rússia. Entretanto, ele não forneceu evidências para sustentar a afirmação. 

Moscou usou a Bielorrússia como palco para sua invasão em larga escala, mas as tropas bielorrussas não estiveram diretamente envolvidas na guerra. As declarações de Lukashenko, no entanto, alimentaram temores de que a força atacaria a Ucrânia do norte, com o objetivo de interromper os corredores usados para transportar armas em todo o país. Oficiais militares bielorrussos, por outro lado, insistiram que a força estava sendo criada apenas para fins defensivos.

Enquanto os soldados russos se deslocavam para a Bielorrússia, as autoridades do país prenderam pelo menos quatro ativistas acusados de planejar ataques terroristas para sabotar a operação.

Receba as notícias do Todo Dia no seu e-mail
Captcha obrigatório

Veja Também

Veja Também