segunda-feira, 4 março 2024
CPMI DO GOLPÉ

Comissão terá acesso ao celular e cartão de vacinação de Bolsonaro

Parlamentares terão acesso aos dados obtidos pela PF em investigação a Bolsonaro, Mauro Cid e Anderson Torres
Por
Isabela Braz
Foto: Chandan Khanna/AFP

A Comissão Parlamentar Mista de Inquérito (CPMI) que investiga os atos golpistas de 8 de janeiro – quando eleitores bolsonaristas invadiram a sede dos três poderes (Planalto, Congresso e STF) – aprovaram nessa terça-feira (13) a quebra de sigilo de dados sigilosos obtidos pela PF (Polícia Federal) – o telefônico e os vacinais – do ex-presidente Jair Bolsonaro (PL).

Os parlamentares também terão acesso aos aparelhos do ex-ministro da Justiça, Anderson Torres, que está em prisão domiciliar, e do tenente-coronel Mauro Cid, ex-ajudante de ordens de Bolsonaro, que segue na cadeia desde o início de maio.

O requerimento foi pedido pelo senador de Sergipe, Rogério Carvalho (PT) que requer acessar “em formato digital, dados extraídos de celular e outras provas referentes ao ex-presidente Jair Bolsonaro, obtidos pela Polícia Federal na Operação Venire, deflagrada com objetivo de investigar fraudes nos cartões de vacinação do ex-presidente, de familiares e de assessores”. Rogério ainda pede que o Diretor-Geral da Polícia Federal preste informações sobre o caso.

Além da quebra de sigilos, a CPMI também convocou os aliados mais próximos do ex-presidente para depor, entre eles, os ex-ministros Anderson Torres, Augusto Heleno e Braga Netto, e o próprio Mauro Cid.

Dos 285 requerimentos propostos pelos parlamentares nessa reunião, 222 foram aprovados e 63 rejeitados – Entre os rejeitados, todos os requerimentos que pediam informações sobre o plano de segurança da viagem do Presidente Lula para a Araraquara no fim de semana que ocorreram os atos de vandalismo em Brasília. O pedido das imagens de segurança do circuito interno do Itamaraty e do Ministério da Justiça também foram negadas.

Oposição


A quebra de sigilos que envolvem o ex-presidente Jair Bolsonaro não foi bem recebida em todos os parlamentares. Deputados como Filipe Barros (PL-PR), Nicolas Ferreira (PL-MG), Delegado Ramagem (PL-RJ) e Carlos Sampaio, e os senadores Izalci Lucas (PSDB-DF) e Magno Malta (PL) criticaram o requerimento e defenderam que o pedido não tem relação alguma com a CPMI.

Os parlamentares abriram requerimento pedindo a exclusão da liberação do acesso aos dados da Operação Venire mas perderam por 20 votos contra 11.
O Deputado Rogerio Côrrea (PT-MG) defendeu que o acesso a dados da Operação Venire é importante, pois através dessa operação que foram encontradas mensagens comprometedoras sobre os atos golpistas no celular de Mauro Cid.

“As informações da Operação Venire que levaram aos diálogos que têm conteúdos sobre o 8 de janeiro de 2023”, afirmou o autor do requerimento, o Senador Rogério Carvalho, após as críticas da oposição.

Foto: Pedro França/Agência Senado
Receba as notícias do Todo Dia no seu e-mail
Captcha obrigatório

Veja Também

Veja Também