domingo, 21 abril 2024

Feminicídio choca a Itália com jovem assassinada à marteladas e escondida em freezer

Carol Maltesi, de 25 anos, foi morta pelo vizinho, Davide Fontana de 42 anos, quem escondeu seu corpo por dois meses

Mãe de um menino pequeno, ela se apresentava no instagram como artista e modelo (Foto: Reprodução)

Davide Fontana,  era vizinho da vítima, bancário e mantinha como hobby um blog de gastronomia e fotografia. Ele confessou ter matado, esquartejado e tentado atirar o corpo da jovem de um penhasco. O caso veio à tona no mês passado.

Os restos mortais da jovem foram identificados por meio de suas múltiplas tatuagens distintas, incluindo uma que dizia “wanderlust”, segundo relatos.

Carol Maltesi também era conhecida pelo nome artístico “Charlotte Angie”. Ela trabalhou como vendedora de uma loja em Milão antes de começar a produzir conteúdo erótico na internet.

Mãe de um menino pequeno, ela se apresentava no instagram como artista e modelo. Colegas de Maltesi afirmaram à Ansa que ela mantinha uma relação de confiança com Fontana.

Segundo relatos, ele até tinha acesso às chaves de seu apartamento. 

Em 13 de março, ele publicou uma foto antiga de Maltesi, que então já estava morta havia dois meses. Ele fingiu ser a vítima de forma ardilosa, com o objetivo de fazer parecer que ela ainda estava viva – inclusive pagando seu aluguel e respondendo a suas mensagens de telefone, de acordo com o The Telegraph.

Mas quando ele descobriu que a polícia estava procurando por ela, ele colocou seus restos mortais em vários sacos e os jogou fora de uma estrada de montanha em Brescia, uma província da Lombardia, a cerca de duas horas de Milão, disseram autoridades.

Na semana passada, um transeunte avistou uma mão mutilada com esmalte de glitter, mas a mulher não foi identificada porque seu rosto havia sido queimado.

A polícia então rastreou os movimentos de Davide Fontana nos últimos meses e vasculhou sua casa, onde encontrou um grande freezer, o mesmo tipo de saco de lixo usado para descartar o corpo e as evidências de DNA que o incriminaram.

Ele supostamente disse aos investigadores que havia matado “acidentalmente” Maltesi durante sexo consensual e depois a esquartejou e escondeu os restos mortais.

Na terça-feira, Fontana foi preso sob a acusação de homicídio qualificado em primeiro grau, desmembramento e ocultação de cadáver.

O banqueiro, que confessou o terrível crime, deve comparecer ao tribunal para uma audiência preliminar nesta quinta-feira, informou o The Telegraph.

Davide Fontana inicialmente negou qualquer envolvimento no desaparecimento de Maltesi (Foto: Reprodução)

Receba as notícias do Todo Dia no seu e-mail
Captcha obrigatório

Veja Também

Veja Também