sábado, 25 maio 2024

Infectados e em quarentena, casais planejam celebrar o Dia dos Namorados a distância

Porém, em meio à alta de casos nas últimas semanas no Brasil, muitos pombinhos terão de passar os próximos dias isolados e separados 

Casais com covid iram passar o dia dos namorados separados (Foto: Reprodução)

Antirromântica. É assim que a Covid-19 é definida por casais que viram naufragar seus planos para o Dia dos Namorados, comemorado neste domingo (12).

Após dois anos de pandemia e com restaurantes, shows e eventos liberados, a data seria uma forma de marcar o retorno da celebração a dois. Porém, em meio à alta de casos nas últimas semanas no Brasil, muitos pombinhos terão de passar os próximos dias isolados e separados.

É o caso do estudante de informática da saúde Matheus Rodrigues Luiz, 21, e do estudante de medicina Matheus Citibaldi, 23. Eles namoram há quatro meses e tinham combinado de iniciar as comemorações na sexta-feira (11), para celebrar o aniversário de Citibaldi, e no domingo tomar um café.

Os planos, no entanto, foram cancelados quando Rodrigues descobriu que está com Covid. Isolado e em casa, ele disse que chegou a pedir desculpas para o namorado. “Essa alta [de casos] precisava cair bem agora? Não podia ser um pouquinho depois?”, lamenta ele, que diz que costumam brincar que ele e o namorado são “os últimos românticos”.

Agora, para a data não passar batida, eles devem passar o domingo juntos por meio de uma videochamada, ouvindo música.

Para o estudante de psicologia Luca Moraes Gentil, 21, a Covid-19 é “definitivamente antirromântica”. Com alguns sintomas leves de resfriado, ele decidiu fazer o teste por precaução e, para sua surpresa, o resultado deu positivo para coronavírus.

Agora, ele e a namorada vão trocar o jantar a dois e o filme a que assistiriam juntos por uma sala virtual. “Temos que fazer o melhor da pior situação”, diz.

Pelo Twitter, a estudante de enfermagem Ana Paula Assenato, 22, reclamou da situação.

“Eu tive dois anos para pegar Covid e quando eu pego? Sim, na mesma semana em que completo um ano de namoro e do Dia dos Namorados.”

À Folha, Assenato afirma que a sensação é de impotência. “Passamos por uma fase um pouco conturbada há pouco tempo e agora seria a volta definitiva. Nós dois estamos tristes, acho que é um sentimento de não ter o que fazer.”

Há um mês namorando, a estudante de publicidade Maria Almeida, 20, se preparava para comemorar a data pela primeira vez. Um resultado positivo para Covid, porém, acabou com o plano.

“Falei para os meus amigos que era meu primeiro Dia dos Namorados namorando e fiquei sentida, até mandei entregar um chocolate na casa dela porque ela ficou chateada também”, lamenta.

Andressa Aguiar, 18, está no curso pré-vestibular e também deu azar de se infectar com a Covid-19 nesta semana. Ela e o namorado tinham planejado pescar no sábado e, no domingo, jantar e trocar presentes. “Fiquei triste. Por mais que a gente possa fazer isso outras vezes, não tem o mesmo clima. Não é tão interessante assim, mas a gente não tem controle”, diz ela.

A atriz Vitória Eliza, 26, passa por algo parecido. “Meu plano de fazer algo bonito e memorável no Dia dos Namorados não deu muito certo por conta da Covid”, conta ela, que apesar dos cuidados acabou se infectando.

Embora lamente passar a data longe do companheiro, ela afirma que a infecção, de certa forma, oficializou o namoro. Quando fez o teste e deu positivo, ela contou que estava frustrada por perder trabalhos, um aniversário e o primeiro Dia dos Namorados juntos.

“Ele disse para eu ficar tranquila que poderíamos fazer algo outro dia, e desde então estamos nos chamando de namorado e namorada.” 

Receba as notícias do Todo Dia no seu e-mail
Captcha obrigatório

Veja Também

Veja Também