terça-feira, 25 junho 2024

Itamaraty terá redução de subsecretarias

O futuro ministro de Relações Exteriores, Ernesto Araújo, confirmou ontem a redução no número de subsecretarias do órgão.
O Itamaraty tem hoje nove subsecretarias. Nos bastidores, diplomatas dizem que a expectativa é que o novo governo faça uma redução drástica, para seis ou cinco, promovendo a fusão de algumas, como Oriente Médio e África com Ásia e Pacífico.

“Vai ter uma diminuição. Não queria antecipar muito”, disse Araújo ao sair de reunião no CCBB (Centro Cultural do Banco do Brasil), sede do governo de transição.

Quando assumir, o presidente eleito, Jair Bolsonaro (PSL), deve editar uma medida provisória com a estrutura de seu governo e o formato dos ministérios.

Araújo não quis detalhar como será o novo formato do Itamaraty.

“Vai ser uma MP conjunta, eu não queria antecipar os dados do Itamaraty”, afirmou.

Questionado sobre eventual redução no número de funcionários do ministério, disse que “a orientação geral [do governo Bolsonaro] é a diminuição de [cargos] comissionados”.

“A carreira é a carreira. Tem a orientação geral de [redução no] número de cargos”, respondeu.
Araújo disse não saber o número de comissionados de cabeça e tampouco informou o percentual que deve ser reduzido.

AGRONEGÓCIO
Ele também não disse quem vai chefiar o departamento de agronegócio que deve ser criado no ministério.
Na última madrugada, Araújo anunciou pelo Twitter a criação do departamento, com o objetivo de promover o agronegócio do Brasil no exterior.

“Estamos criando no Itamaraty um Departamento do Agronegócio para trabalhar junto com o Ministério da Agricultura na conquista de mercados internacionais. Daremos ao agro a atenção que no MRE ele nunca teve”, escreveu.

Segundo ele, “algumas negociações comerciais em curso são ruins para a agricultura” e serão reorientadas “em benefício dos produtores brasileiros”.

Receba as notícias do Todo Dia no seu e-mail
Captcha obrigatório

Veja Também

Veja Também