segunda-feira, 22 julho 2024

Lula defende alternância de poder e eleições livres na Venezuela

Lula concedeu entrevista à mídia estrangeira 

O ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT) defendeu nesta segunda-feira (22) a realização de eleições livres e a alternância de poder na Venezuela. O petista, que lidera as pesquisas de intenção de voto para o pleito presidencial, deu uma entrevista coletiva a jornalistas estrangeiros em São Paulo.

Ao ser questionado sobre como, caso eleito, poderia atuar para que o país vizinho tenha pleitos democráticos, reconhecidos pelo regime e pela oposição, o ex-presidente afirmou que gostaria de desejar à Venezuela o que quer para o Brasil. “Que as eleições sejam sempre mais livres e que se acate o resultado”, afirmou, em crítica indireta também aos ataques feitos pelo presidente Jair Bolsonaro (PL), a quem enfrentará em outubro, ao sistema eleitoral.

“Defendo alternância de poder não só para mim. Desejo para a Venezuela e para todos os países. Não há presidente insubstituível. O Brasil vai tratar a Venezuela com respeito.” O ex-presidente era aliado de Hugo Chávez, e a relação ainda próxima que o PT mantém com o ditador Nicolás Maduro -bem como com figuras como Daniel Ortega, na Nicarágua- é vista como uma vidraça do partido por críticos.

Lula, que deu a entrevista ao lado dos ex-ministros Aloizio Mercadante e Celso Amorim, afirmou ainda que teve uma extraordinária relação com a Venezuela quando esteve no poder e que deseja que o país vizinho “seja o mais democrático possível”. 

“Não concordei quando a União Europeia inteira aceitou [Juan] Guaidó como presidente da Venezuela. Ele era um impostor, está provado que era um impostor. Sempre aprendi a respeitar a autodeterminação dos povos de um país, não posso ficar me metendo”, disse o petista.

Receba as notícias do Todo Dia no seu e-mail
Captcha obrigatório

Veja Também

Veja Também