quarta-feira, 24 julho 2024

Ministério da Saúde confirma primeira morte por varíola dos macacos no Brasil

Óbito foi registrado em Uberlândia (MG); paciente era um homem com baixa imunidade 

Partícula do vírus da varíola dos macacos; primeira morte foi confirmada no Brasil (Foto: SCIENCE PHOTO LIBRARY)

O Ministério da Saúde confirmou, nesta sexta-feira (29), a primeira morte por varíola dos macacos (monkeypox) no Brasil. O óbito foi registrado em Uberlândia (MG) na quinta; o paciente era um homem com baixa imunidade.

Nesta semana, a cidade de São Paulo confirmou os primeiros casos da doença em crianças.

A varíola dos macacos é transmitida de uma pessoa para outra por contato próximo com lesões, fluidos corporais, gotículas respiratórias e materiais contaminados, como roupas de cama. 

A doença geralmente se resolve sozinha (é autolimitada) e os sintomas costumam durar de 2 a 4 semanas. Casos graves podem ocorrer, mas a varíola dos macacos é bem menos letal que a varíola humana, erradicada em 1980.

Nos últimos tempos, segundo a Organização Mundial de Saúde (OMS), a taxa de letalidade da varíola dos macacos foi de cerca de 3% a 6%; para a varíola humana maior, esse percentual chegava a 30%.

A doença ainda não tem uma vacina específica, mas três vacinas já existentes contra a varíola humana podem ser usadas para proteger contra a varíola dos macacos. Alguns países já estão aplicando uma delas, mas ainda não há previsão de chegada no Brasil.

Casos no Brasil

Até esta quarta-feira (27), o Brasil tinha 978 casos confirmados de varíola dos macacos, em 15 estados e no Distrito Federal:

São Paulo (744)
Rio de Janeiro (117)
Minas Gerais (44)
Paraná (19)
Distrito Federal (15)
Goiás (13)
Bahia (5)
Ceará (4)
Santa Catarina (4)
Rio Grande do Sul (3)
Pernambuco (3)
Rio Grande do Norte (2)
Espírito Santo (2)
Tocantins (1)
Mato Grosso do Sul (1)
Acre (1)

Os números podem variar em relação aos das Secretarias Estaduais de Saúde por causa de tempo de notificação ao ministério.

Emergência de saúde global

No sábado (23), a varíola dos macacos foi declarada pela Organização Mundial de Saúde (OMS) como uma “emergência de saúde global”.

A decisão pode levar a um maior investimento no tratamento da doença e avançar na luta por vacinas, que estão em falta. Na prática, o estado de emergência obriga agências sanitárias pelo mundo a aumentar medidas preventivas.

Atualmente, só há outras duas emergências de saúde deste tipo: a pandemia do coronavírus e o esforço contínuo para erradicar a poliomielite.

Mais de 18 mil casos e 5 mortes pela doença já foram relatados à organização, em 78 países. Mais de de 70% das infecções vêm da Europa e 25%, das Américas.

Via G1

Receba as notícias do Todo Dia no seu e-mail
Captcha obrigatório

Veja Também

Veja Também