terça-feira, 27 fevereiro 2024

Mulher morre em fila da assistência social

Pessoas dormem em frente à unidades do Cras para conseguir senhas de atendimento no dia seguinte

De acordo com a companheira, Janaína estava com a saúde debilitada e sem poder trabalhar (Foto: Reprodução)

A mulher de 44 anos que morreu enquanto aguardava atendimento na fila do Centro de Referência em Assistência Social (Cras) do Paranoá, no Distrito Federal, estava doente e não podia trabalhar. Por isso, Janaína Araújo tentava conseguir o Benefício de Prestação Continuada (BPC), um auxílio de um salário mínimo pago a idosos e pessoas de baixa renda que têm algum tipo de deficiência.

A companheira de Janaína, que preferiu não se identificar, contou  que a mulher era hipertensa, obesa, sofria de síndrome do pânico, depressão e ansiedade. As duas viveram juntas por 10 anos.

De acordo com a companheira, Janaína estava com a saúde debilitada e sem poder trabalhar, e queria o benefício para ajudar nas contas de casa. Janaína tentava há oito dias atendimento no Cras.

Nesta quarta, ela decidiu passar a madrugada na fila para conseguir uma senha. No entanto, começou a se sentir mal.

Testemunhas contaram que Janaína dormia no carro, quando uma amiga pediu ajuda e disse que ela estava passando mal

“Quando a gente chegou lá, ela estava com sintomas de que estava enfartando”, contou uma mulher que preferiu não se identificar.

A Secretaria de Desenvolvimento Social (Sedes-DF) lamentou a morte e disse que “manifesta solidariedade aos familiares e amigo”. A pasta informou ainda que está prestando toda a assistência necessária”

Com informações G1.

(Foto: Divulgação)

Receba as notícias do Todo Dia no seu e-mail
Captcha obrigatório

Veja Também

Veja Também