quinta-feira, 23 maio 2024

No dia dos namorados, mulher é morta por companheiro. Mãe do suspeito o entregou

Testemunhas contaram que, na manhã de ontem, houve uma briga entre o casal. Em seguida, a mãe de Magno escutou um disparo. Ela chamou a polícia e não deixou que o filho saísse de casa 

Entre janeiro e abril de 2022 – meses que os dados já foram computados – 47 mulheres foram vítimas de feminicídio somente no Estado do RJ (Foto: Reprodução)

Uma mulher de 25 anos foi assassinada na manhã deste último domingo em Santa Cruz, na Zona Oeste do Rio. Lais Batista da Silva Rocha dos Santos foi morta pelo namorado, que foi entregue à polícia pela mãe dele. Parentes de Laís acreditam que o crime foi cometido por ciúmes. Ela era mãe de um casal de filhos: uma menina de 8 anos e um menino de 5.

De acordo com as primeiras informações, Laís havia saído com Magno Rocha – com quem havia começado um relacionamento recentemente. Os dois teriam ido a um bar na noite de sábado e, posteriormente, seguiram para a casa da mãe do suspeito, na Reta da Base, em Santa Cruz. Segundo uma prima da vítima, o casal havia se conhecido pelas redes sociais e estavam juntos há cerca de 15 dias.

Testemunhas contaram que, na manhã de ontem, houve uma briga entre o casal. Em seguida, a mãe de Magno escutou um disparo. Ela chamou a polícia e não deixou que o filho saísse de casa.

“A gente sabia que ela estava com esse cara há cerca de 10 a 15 dias. Um relacionamento muito recente. Como a minha prima gostava muito de cavalos, acredito que eles se conheceram por isso”; contou a esteticista Mariana Mello de Menezes, 25, prima de Laís.

Mariana destacou que os pais da vítima estão em choque com o assassinato e não conseguem acreditar no crime.

“Ontem, quando eu fiquei sabendo (do assassinato), fiquei surpresa. Ela não chegou a comentar sobre brigas. Eles estavam juntos há tão pouco tempo que nem os parentes conheciam ele ainda. Foi uma brutalidade tão terrível que os meus tios estão em choque. A família toda. A gente nunca esperava isso. Ela foi casada há oito anos e se separou há um ano. (Ela) Era uma menina muito boa. Não merecia ser morta assim”, desabafa a prima.

Quando é questionada sobre a atitude da mãe de Magno, que o impediu de fugir, Mariana diz que “ela acertou nessa parte”.

“Se ele estivesse solto, seria pior. O nosso psicológico já está abalado. Imagina ele solto. A mãe dele acertou, pelo menos nessa parte. Que ele seja julgado, condenado e pague por tudo que ele fez com a Laís” disse.

Uma ambulância do Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (Samu) foi chamada, mas Laís foi encontrada morta. O corpo foi encaminhado para o Instituto Médico-Legal (IML) de Campo Grande, também na Zona Oeste.

A Polícia Militar informou que PMs do 27ºBPM (Santa Cruz) “foram verificar ocorrência no bairro Santa Cruz, na Zona Oeste da cidade do Rio de Janeiro. No local indicado, uma pessoa foi encontrada em óbito. A área foi isolada para perícia”.

O suspeito foi preso em flagrante e levado para a Delegacia de Homicídios da Capital (DHC), onde o caso foi registrado. Magno foi preso em flagrante e foi autuado por homicídio, fraude processual e porte ilegal de arma de fogo.

Índices de feminicídio assustam

De acordo com dados do Instituto de Segurança Pública do Rio, entre janeiro e abril de 2022 – meses que os dados já foram computados – 47 mulheres foram vítimas de feminicídio em todo o estado do Rio.

No mesmo período, outras 108 foram vítimas de tentativa de feminicídio. Nos mesmos meses do ano passado, 30 mulheres foram mortas por seus companheiros ou ex-companheiros. Outras 86 foram vítimas de tentativa de feminicídio.

Com informações OGLOBO.

Receba as notícias do Todo Dia no seu e-mail
Captcha obrigatório

Veja Também

Veja Também