quinta-feira, 25 julho 2024

No Pará, tiros atingem caminhões de empresa de ex-ministro ligado a Lula

A empresa tem entre os acionistas o ex-ministro da Agricultura Blairo Maggi, nome forte do setor e simpático ao presidente eleito Luiz Inácio Lula da Silva (PT)

Um comboio de caminhões da Amaggi foi atingido por tiros neste domingo, 27, na região de Novo Progresso (PA), onde manifestantes bolsonaristas tentam bloquear estradas. A empresa tem entre os acionistas o ex-ministro da Agricultura Blairo Maggi, nome forte do setor e simpático ao presidente eleito Luiz Inácio Lula da Silva (PT). O governador do Pará, Helder Barbalho, acompanha o caso.

A Polícia Militar do Pará confirmou a ocorrência ao Estadão e informou que viaturas se deslocaram ao local, um trecho da BR-163. Conforme a PM, ninguém ficou ferido pelos disparos. Os policiais não informaram a quantidade exata de veículos alvejados, tampouco se já foram identificados os autores e a motivação dos disparos.

A reportagem apurou que seriam ao menos seis caminhões atingidos – e que um deles teria ficado sem possibilidade de prosseguir viagem. Segundo policiais, não havia registro de manifestação em andamento na rodovia neste domingo, na altura do Km 150.

Em nota, a Amaggi confirmou que caminhões pertencentes a sua frota foram alvos de disparos de arma de fogo. Segundo a empresa, o atentado ocorreu por volta das 11h. “Felizmente os danos foram apenas materiais e nenhum dos motoristas se feriu”, disse a Amaggi. A empresa afirmou que comunicou imediatamente o ocorrido à Polícia Rodoviária Federal (PRF) e que está prestando toda assistência aos seus motoristas.

O governo do Pará entrou em contato com a PRF, que citou relatos de tentativas de bloqueios por moradores da Vila Isol, conhecida como “Km Mil”, a cerca de 87 quilômetros do centro de Novo Progresso. A PRF informou ao governo paraense que tem feito rondas no local, inclusive durante a madrugada. A PM do Estado vai dar suporte às rondas.

Além de concentração no entorno de quartéis das Forças Armadas, os protestos de bolsonaristas inconformados com a eleição de Lula continuam a causar tumultos, bloqueios e crimes em estradas de diversas regiões do País nas últimas semanas. A situação é de terror em alguns Estados, como Mato Grosso.

A região de Novo Progresso registra conflitos causados por manifestantes que não aceitam a derrota do presidente Jair Bolsonaro (PL) nas urnas. Nesta semana, foram presos seis suspeitos de participarem de ataque a tiros a agentes da PRF em Novo Progresso, no dia 7 de novembro, durante operação para desobstruir a BR-163.

Receba as notícias do Todo Dia no seu e-mail
Captcha obrigatório

Veja Também

Veja Também