segunda-feira, 27 maio 2024

CEI da Saúde é prorrogada por 15 dias, presidente contesta e acusa manobra

A CEI (Comissão Especial de Inquérito) da Saúde da Câmara de Americana foi prorrogada por 15 dias na sessão do Legislativo de ontem. A prorrogação ocorreu após a Comissão de Meio Ambiente, Transporte e Comunicação apresentar em regime de urgência um substitutivo a um projeto da própria CEI que pedia prorrogação das investigações por 180 dias. A presidente da comissão acusou manobra para acabar com as investigações.
O limite de prazo anterior para conclusão dos trabalhos era 10 de julho. O substitutivo apresentado por Luiz Carlos Cezaretto, o Luiz da Rodaben (PP), e Pedro do Nascimento Junior, o Pedro Peol (PV), integrantes da Comissão de Meio Ambiente, Transporte e Comunicação, foi aprovado com 10 votos favoráveis e 8 contrários.
Peol disse que apresentou o documento porque a CEI está perdendo o foco. “Vimos que o teor da CEI já não tá como começou. Perdeu o lado investigativo e foi para o lado pessoal. Começou a agredir o Executivo, o prefeito e os vereadores não vão admitir essa atitude”.
De acordo com ele, uma depoente fez várias acusações “inverídicas” contra o prefeito Omar Najar (MDB), falando de sua vida pessoal.
Ele ainda disse que o relatório já está praticamente pronto. “Já tem o relatório parcial, que só tem o nome de parcial, mas já tá quase concluso. A própria presidente disse que tá 90% pronto, então é suficiente para o relatório final”, disse.
Em resposta ao que chamou de manobra de quem quer acabar com as investigações, a presidente da CEI, Maria Giovana (PCdoB), e Welington Rezende (PRP) levantaram cartazes com a frase “Luto Pela Saúde”.
“Foi uma manobra, não sei de quem, mas foi. Existe corrupção na Saúde de Americana. A prorrogação por apenas 15 dias prejudica o andamento dos trabalhos. Precisamos de mais tempo para que toda a documentação seja analisada, para que outras testemunhas sejam ouvidas e para que haja acareação por conta de testemunhos contraditórios”, discursou Giovana.
Dentre as ilegalidades já encontradas pela CEI, ela citou o caso de um médico que recebia mais de R$ 70 mil por mês, com horas de trabalho exorbitantes, tendo trabalhado 24 horas durante 30 dias, e irregularidades na contratação desses profissionais. Ela refutou qualquer espécie de inclinação pessoal nas apurações.
O relator da CEI, Thiago Martins (PV), relator da investigação, votou a favor da prorrogação de apenas 15 dias. “Não precisa terminar em 15 dias, pode ser prorrogado quantas vezes precisar. A CEI não acabou, é inverdade. Dia 4 tem oitiva de testemunhas. Também foi feito convite ao prefeito e o meu relatório está 90% pronto. Vou fazer meu papel, vou protocolar no Ministério Público e na prefeitura para abrir sindicância se tiver responsáveis pelos erros na Saúde”, declarou.
Em resposta a prorrogação por prazo menor, Giovana e Welington pediram vistas de todos os projetos que estavam em discussão.
Receba as notícias do Todo Dia no seu e-mail
Captcha obrigatório

Veja Também

Veja Também