sábado, 20 julho 2024
JUNHO VIOLETA

CRAS’s de Hortolândia recebem peça teatral “Não me Maltrate, Me Ame” sobre violência contra a pessoa idosa

A peça é escrita, dirigida e interpretada por idosos cadastrados no CCMI Remanso
Por
Vitória Silva
Foto: Divulgação

O Centro de Convivência da Melhor Idade do Remanso Campineiro, órgão vinculado à Secretaria de Governo, iniciou a apresentação da peça teatral “Não me Maltrate, Me Ame”. A encenação artística, que faz parte da campanha “Junho Violeta – Mês de Conscientização sobre a Violência contra a Pessoa Idosa”. Nesta terça-feira (18), a peça foi apresentada para o público do CRAS Santa Clara, no salão da Comunidade Santa Clara da Paróquia São João Paulo II, no Jd. Santa Clara do Lago.

A peça é escrita, dirigida e interpretada por idosos cadastrados no CCMI (Centro de Convivência da Melhor Idade) do Remanso, a peça teatral “Não Me Maltrate, Me Ame” conta situações de negligência dos cuidados com a pessoa idosa no âmbito familiar. O protagonista, Senhor Coutinho, é um idoso que vive sob os cuidados da filha Margarida e de três netos.

Sobre a peça teatral

Na convivência familiar, tudo caminha bem, até que Margarida precisa se ausentar e delega os cuidados do pai idoso a seus três filhos. Cada filho recebe uma função específica relacionada à alimentação, medicação e higiene do Senhor Coutinho. No entanto, logo que Margarida se ausenta do lar, os netos demonstram uma série de atitudes omissas, negligentes e desrespeitosas com o avô. Em uma das situações, a violência patrimonial é retratada, quando os netos se aproveitam do cartão de crédito do idoso.

O clímax do enredo apresenta as consequências da violência contra a pessoa idosa. Sem se alimentar, tomar os medicamentos corretamente e sem receber cuidados básicos de higiene, Seu Coutinho adoece, necessitando de cuidados médicos emergenciais. O desfecho da história retrata o acolhimento do idoso, que é encaminhado ao hospital, enquanto Margarida aplica um castigo aos três filhos desobedientes.

Para a psicóloga e coordenadora do CCMI Remanso, Fernanda Fadiga, a peça teatral apresenta de maneira leve um tema sensível e que merece atenção da sociedade. “Esta peça sensibiliza as pessoas a identificarem situações de violência contra os idosos, seja em casa ou em acolhimento ao vizinho, a algum familiar ou amigo. É necessário se atentar a alguns sinais, que às vezes se manifestam de maneira sutil e esporádica”, explica.

“Uma das violências mais comuns é a patrimonial, quando o idoso tem o direito violado na questão financeira. Outro tipo de violência é a física, que, infelizmente, se manifesta na maioria das vezes na própria família. Este tipo de violência acontece, por exemplo, quando o idoso é puxado pelo braço. A violência psicológica acontece quando o idoso é desencorajado a fazer determinada atividade ou é privado de vestir ou se comportar como deseja”, elucida Fernanda Fadiga, ao apontar os tipos de violências mais comuns contra a pessoa idosa.

Embora a encenação da peça “Não Me Maltrate, Me Ame” contenha algumas passagens cômicas, para a moradora do Jd. Interlagos, Cibele Aparecida, o tema requer muita seriedade. “Esta é uma realidade muito triste. As pessoas não dão tanta importância para este tema. Os idosos precisam de carinho e cuidado e, muitas das vezes, as famílias esperam acontecer alguma tragédia, quando já é tarde demais”, comenta.

A peça teatral interpretada pelos idosos do CCMI Remanso também atraiu o público jovem. É o caso da moradora do Jd. Santa Clara do Lago, Priscila Ribeiro de Melo da Gama, que trouxe a sogra, Zilda da Gama, para assistir à encenação. “É importante mostrar para a população o que a juventude tem feito com os idosos. Vemos muitos casos de idosos que são maltratados, que não querem falar sobre o assunto para não prejudicar os filhos e os netos. Este tipo de comportamento oprime, entristece e tira até mesmo a vontade dos idosos de viverem. Esta peça retrata a importância de cuidar de uma pessoa da terceira idade, para que ela não se sinta esquecida”, avalia.

“Eu achei ótima e importante esta peça. Faz 10 anos que eu participo do Centro de Convivência da Melhor Idade. Lá nós somos bem orientados, bem tratados, participamos de várias atividades. Se não existisse o CCMI, eu ficaria em casa o dia todo”, revela a sogra e também moradora do Jd. Santa Clara do Lago, Zilda da Gama.

Ao final da apresentação teatral, idosos cadastrados no CCMI Remanso e os assistidos pelo CRAS Santa Clara participaram da dinâmica MVE (Movimento Vital Expressivo), que foi conduzida pela psicóloga e instrutora, Paula Lacerda. Considerada uma prática integrativa coletiva, o MVE tem como elementos a roda, a música, a imitação, a coordenação, a expressão e movimentos do próprio corpo.

Veja abaixo as próximas apresentações da peça “Não Me Maltrate, Me Ame” em Hortolândia:

CRAS Novo Angulo
Data: quinta-feira, 20 de junho
Horário: 8h30
Endereço: Rua Francisco Bereta, 330 – Jardim Novo Angulo

CCS Rosolém
Data: quinta-feira, 27 de junho
Horário: 8h30
Endereço: Rua Guido Rosolen, 177 – Jardim Rosolém

Receba as notícias do Todo Dia no seu e-mail
Captcha obrigatório

Veja Também

Veja Também